Viaje neste blog

Publicidade

Tem graça ir no show do Metallica 5 vezes?

28/03/2017

Qual o segredo do Metallica (e outros nomes do Metal) que batem cartão no Brasil?

Outro dia eu estava aqui trabalhando e, como acontece muitas vezes, estava ouvindo a Kiss FM. Na ocasião quem comandava o programa era o locutor Rodrigo Branco. Admiro bastante o trabalho do apresentador e, em geral, gosto de muitas observações que ele faz sobre o Rock e a música em si. Entretanto, um comentário que ele fez me chamou a atenção.

Metallica, o favorito dos festivais mercenários. Foto: Divulgação

Enquanto lia mensagens de ouvintes e falava sobre algumas atrações do Lollapalooza 2017, o locutor fechou com a seguinte frase: "Bom, estarei lá para ver o Metallica. De novo".

Não é novidade que o Metallica é a menina dos olhos dos organizadores de grandes eventos musicais no Brasil. Antes uma pérola do Rock in Rio, o Metallica foi agora "descoberto" pela organização do Lolla. Contando com essa aparição neste ano, o grupo de James Hetfield e companhia já visitaram o Brasil nada menos que 9 vezes. Nos últimos 6 anos a banda esteve no Brasil 5 vezes. Como uma namorada ciumenta, os caras não dão nem tempo da gente sentir saudades.

Chutando que esses 5 últimos shows não foram compostos exclusivamente por pessoas novas, posso concluir que boa parte do público é como o meu caro apresentador Rodrigo Branco, que está vendo seus ídolos de novo. E de novo.

E não vou nem entrar no mérito dos preços dos ingressos. Não ainda.

(Mas você pode ler algo sobre isso aqui)

Hardwired... To Self-Destruct, o último e muito bom disco do Metallica. Foto: Reprodução

Não tenho nada contra o Metallica. Aliás você pode reler esse texto substituindo o nome da banda por Iron Maiden, Slipknot, dentre outros favoritos de eventos que dá no mesmo. Na verdade, até gosto bastante do Metallica. Acho os caras bons, estão sempre na ativa, se preocupam com inovações (nem sempre vistas com bom olhos, infelizmente) e possuem uma presença de palco inegável. O ponto que eu quero chegar é: essas bandas são boas? São. Não tem mais nada para provar? Não. São lucrativas? Sem dúvida. Mas será que eles precisam marcar presença em todo grande evento obrigatoriamente? De acordo com o público, parece que sim. Mas afinal, qual a graça de ver um show do Metallica 5 vezes? Por que não pensar em outros nomes que poderiam trazer não apenas grande público, mas uma novidade de fato. Ok, tudo bem. Bandas que enchem estádio com garantia vitalícia como Red Hot Chili Peppers, Bon Jovi, U2, Roger Waters, Paul McCartney, Aerosmith e Guns'N'Roses já vieram ao Brasil incontáveis vezes. Mas qualquer uma delas veio menos vezes que o Metallica. Seria o bastante para considerarmos uma novidade. Então por quê insistir tanto neles?

Talvez eu me pergunte isso porque não sou aquele fã alucinado pelo Metallica. Na minha coleção de mais de 400 CDs, não tem nenhum deles, mas não troco de rádio quando eles começam a tocar. Na verdade se for uma pedrada das clássicas como One ou Unforgiven a probabilidade maior é que eu até aumente o volume e sacuda a cabeça. Até ouvi o último disco deles, o Hardwired to Self Destruct, e gostei bastante. Respeito os caras, sem dúvida. Mas nunca fui em nenhum show e não iria, exceto talvez se eu ganhasse um ingresso.

Beatles. Será que eu conseguiria ver 5 vezes? Foto: Divulgação

Ainda assim, tento fazer um paralelo com bandas que eu gosto para ver se eu faria o mesmo que os fãs fazem pelo Metallica. Será que eu iria 5 vezes e investiria uma soma de mais ou menos R$2.500 no show de bandas como, por exemplo, Oasis, Red Hot Chili Peppers e ACDC?

Destas, Oasis é a única atualmente impossível de conferir. Tenho vários discos deles e um carinho enorme pela banda graças à sua importância na minha adolescência e dos meus melhores amigos. Já fui num show deles com estes mesmos amigos e me diverti bastante. Se eu iria outra vez caso eles voltassem? Depende muito do preço do ingresso, mas do jeito que as coisas andam a resposta mais óbvia é: não. 5 vezes então? Com as devidas desculpas aos irmãos Gallagher, mas... Uma vez foi suficiente.

Red Hot Chili Peppers. Vieram ao Brasil 6 vezes na vida. Não tanto quanto Metallica e os medalhões do Metal. Infelizmente nunca fui em nenhuma vez. Sinto falta e tenho um compromisso comigo mesmo de vê-los pelo menos uma vez, não importa o preço cretino do ingresso. Trata-se de uma banda da vida e que vem muito pouco para cá, então eu faria, sim, um esforço. 5 vezes? Nem que Flea e Kieds lutassem boxe com cacos de vidro colados na luva.

ACDC. Todos os dias me dou 3 chibatadas nas costas por ter perdido o show deles em 2008, na turnê Black Ice. Estava caro e eu estava duro, mas devia ter ido mesmo assim. Hoje a banda perdeu os mestres Malcolm Young, Brian Johnson e Cliff Williams. Para piorar manchou seu hall de heróis com a presença de Axl Rose nos vocais! Pensando bem, acho que não iria no show deles nem pela primeira vez...

ACDC com Axl Rose. Sério, quem teve essa ideia? Foto: Divulgação

Agora vamos apelar para Beatles. A maior banda da história. Será que nem eles eu veria 5 vezes? Sendo bastante honesto, se fosse para ver o que eu vi em todos os seus shows já registrados em vídeo, com certeza não. Eram todos shows de 30 minutos cheios de gritaria histérica e uma repetição incansável de singles grudentos como She Loves You, Love Me Do e I Want to Hold Your Hand. O melhor dos caras nunca foi tocado num show. Nos dias atuais já vi um show do Paul McCartney. Perdi outros, mas não senti falta. Uma vez foi suficiente até para preservar a magia de ver uma lenda como ele.

E o Metallica lá, enchendo estádios ano após ano. Com fãs vendo seus shows repetidamente. Sério. Qual a graça?

Enquanto matutava sobre o motivo que levaria alguém a ir tantas vezes no show de uma mesma banda, não importa o preço cretino dos ingressos, me perguntava qual o segredo do Metallica. Será que eles não tinham cometido nenhum deslize na carreira? Nunca lançaram um disco ruim? Nunca deram um tempo? Nunca faltou uma verba de marketing?

Talvez seja essa a grandiosidade da banda, afinal. Equilibrar as insondáveis variáveis do mundo da música e da fama. Ao contrário dos Oasis, Red Hot, ACDC e Beatles, os caras não perderam (tantos) integrantes, não pararam de tocar e continuaram com uma qualidade musical minimamente aceitável. Ou talvez os fãs desse tipo de banda sejam menos questionadores. Ou talvez eles não escutem bandas novas e, sendo o Metallica o único dono de seus corações, é também a única razão para eles irem a um show. Ou talvez o marketing do Metallica é que seja muito forte, afinal os caras sempre estiveram associados à lucro, seja em eventos, seja em produtos.



Ou, com certeza mais certo do que todas estas hipóteses, eu é que sou o problema por não gostar tanto do Metallica quanto seus fãs.

Enfim.

Seja qual for o segredo do Metallica, certamente não irá parar por aqui. Com o Lollapalooza - outrora um estandarte da música nova e independente - agora atingindo recorde de público graças à eles, tenho certeza que nos próximos 10 anos teremos pelo menos uns 8 shows dos caras, alternando Rock In Rio e Lollapalooza com outras apresentações solo. E os fãs sempre lá. De novo e de novo.

É a vida.

Um mestre uma vez me disse e eu devia ter entendido... Por mais que tentemos entender, algumas questões permanecerão, invariavelmente, sem explicação ;)

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...