Viaje neste blog

Julieta Venegas, há 20 anos sem parar de fazer música boa

20/10/2015

Com disco lançado há 2 meses, cantora continua firme e forte na música pop mundial

É comum dizer, quando alguém canta com delicadeza e e afinação perfeita, que essa pessoa canta como os anjos. Isso, apesar de se aproximar da verdade, não se aplica de todo à Julieta Venegas. À menos que você considere o anjo um bocado menos celestial e um tanto mais próximo de nós, mais humano, mais parceiro, mais amigo. Julieta Venegas tem o tipo de voz de quem você quer ter por perto, não apenas num concerto ou no DVD, mas na mesa do bar ou numa viagem inesquecível com a galera.




A cantora americana, criada no México, é dona de uma voz carismática, jovial e cheia de energias positivas. Não apenas sua voz, mas seu estilo musical transpiram à alegria, amor e uma vontade de curtir a vida. É o tipo de música que poderia ser classificada como "Feel Good Songs", aquelas músicas as quais você recorre quando quer se sentir melhor, na mesma prateleira que o Jack Johnson, bem ao lado de Eagle-Eye Cherry, na mesma seção que o conterrâneo Santana.

É da escola de Santana aliás uma das grande qualidade da cantora: parcerias com artistas ora famosos, ora desconhecidos, mas que acrescentam seu toque especial e tornam gravações que tinham tudo para ser comuns em experiências incríveis. Por exemplo essa canção, Miedo, gravada com o grande Lenine:



Outra brasileiríssima que já gravou com Julieta Venegas foi Marisa Monte. Apesar de dispensar apresentações, vale a pena ressaltar o respeito e carinho que com o qual nossa cantora é recebida por Julieta: "dona de uma voz que marca a alma". Orgulho para nós, brasileiros, e respeito para a mexicana:



Venegas nasceu na Califórnia, mas foi criada em Tijuana, no México onde começou a se interessar pela música. Aos 22 anos, mudou-se para a Cidade do México onde especializou-se em músicas para o Teatro e apresentações ao vivo. Seu talento, não só para cantar como para tocar violão, guitarra, piano e acordeón, além de compôr canções originou, em 1997, seu primeiro disco. Mas só foi em 2003, no terceiro álbum, "Sí", que Julieta alcançou fama e reconhecimento internacional, sendo nomeado, em 2005 para o Grammy Latino de melhor álbum.


O quarto disco "Limón y Sal", lançado em 2006, foi o grande responsável por firmar o nome de Julieta Venegas como uma das grandes artistas da música pop e um dos maiores nomes da música mexicana ao lado de Santana e Maná. O álbum é recheado de hits e canções daquelas que dão vontade de cantar junto ou deixar como trilha sonora de um dia de sol com pessoas especiais.



Se 2008 trouxe o disco "Unplugged MTV" e com ele o costumeiro status de artista pop mundial, isso não fez com que Venegas deixasse de se aprofundar na música e buscar o que somente grandes artistas costumam fazer: trabalhos mais autorais e experimentais. Seus discos seguintes "Otra Cosa" (2010) e "Los Momentos" (2013) marcam o início da trajetória da cantora num âmbito mais intimista e independente, sendo produzidos com menos recursos, em estúdios menores e revelando um lado mais pessoal de uma artista que já conquistou o mundo e não precisa mais provar a que veio. Atitude louvável. Num cenário em que os músicos se apaixonam pela fama e tendem a se comercializar o máximo possível, Julieta segue sua carreira com a mesma tranquilidade e carisma com os quais começou, lá atrás em 1997, a ganhar o mundo.



É com esse espírito que a cantora chegou em agosto passado, ao seu sétimo disco de estúdo, "Algo Sucede". A canção Buenas Noches, Desolacion ganhou seu clipe no mês passado e mostra como, mesmo após 20 anos de carreira e 44 de vida, Julieta Venegas continua fazendo o que sabe e o que ama fazer: música boa, com amor e sinceridade. E que os deuses da música dêem a ela muitos longos anos para continuar na estrada com seu talento e sua voz de anjo underground que nos faz querer curtir a vida ;)

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...