Viaje neste blog

Publicidade

5 Excelentes (e grudentas) músicas Pop dos últimos 2 anos

27/10/2015

Ondas, superação, saudade e alegria

A parte boa de virar a página com relação à um episódio passado é que você pode pensar nele com frieza suficiente para não se questionar demais e com carinho suficiente para relembrar os fatos com um sorriso no rosto de quem cresceu, aprendeu e hoje dá graças à Deus por ter tido a oportunidade de viver aquilo tudo.


É por isso que hoje eu consigo escrever sobre Waves, a música que talvez mais tocou nas rádios enquanto estive do outro lado do mundo, na Austrália e que certamente foi uma das que mais tocou no meu player aqui no ano que seguiu meu retorno. Posso falar sobre Summer, posso até cantar Wake me Up e I Will Never Let You Down sem correr o risco de entrar em depressão.



Eu não teria conseguido escrever isso há alguns mêses. Não antes de o Metallica me ajudar a superar, olhar pra frente e "seguir a estrada mais uma vez".

Agora que sou um cara completo de novo, satisfeito com a vida, perdido e revoltado na mesma proporção que sonhador e resignado, fica então o registro de canções há muito adiadas.


Enquanto morei na Austrália colecionei as canções que mais tocavam no dia a dia. Nunca fui fã da música pop e quando digo pop quero me referir não à música "popular" como o nome sugere, mas à música colorida e grudenta da qual a MTV suga tudo o que pode e as rádios nos empurram guela abaixo.

Mas eu vivia em outro país e tinha, de alguma forma, que absorver tudo o que eu podia no menor tempo possível. E a música sempre foi um bom caminho para submergir em outra cultura. Além disso, de todas as coisas que aprendi, de tudo que conheci em todos os longos anos em que fui um estranho em terra estranha, talvez a lição mais valiosa tenha sido a de que o mundo é grande demais para que cultivemos uma mente pequena. É preciso abrir a cabeça, apreciar as diferenças, viver o desconhecido e se surpreender todos os dias. Foi assim que me peguei visitando países que antes eu mal tinha ouvido falar, provando comidas que eu outrora jamais teria chegado perto, fazendo amigos que não falavam minha língua e descobrindo, finalmente, que a música pop era, sim, capaz de me fazer viajar. E muito.

Preparei uma playlist com todas as canções que embalavam meus dias, que me acompanhavam nos subempregos e nas festas. Que iam dos dias de desgosto e ódio ao de pura curtição etílica. Destas, selecionei as 5 que em minha opinião são as melhores ou que me traziam as melhores memórias. São elas:

Mr. Probz - Waves



Waves é sem dúvida a canção mais viajante que conheci enquanto estive na Austrália e incluo aí as canções de Rock, de Blues e tudo o mais. Trata-se de uma canção eletrônica, mas não tão dançante quanto o que se espera do tipo de canção. Waves é mais uma música para relaxar e refletir do que para dançar. É a canção feita sob medida para ser escutada na praia, de frente para o mar. Não é a toa que seu nome seja Waves ("Ondas", em português), pois ela contém em seu balanço a mesma mística que dá vida ao mar. Há nela um mistério, uma beleza inexplicável. É um balanço perigosamente hipnótico que, se não chegasse a um fim, correríamos o risco de permanecer deliciosamente aprisionados em seu ritmo, sempre repetindo: "Onda após onda, devagar se afastando".

Calvin Harris - Summer



Calvin Harris é um cara que já tem meu respeito por sobreviver no mundo da música pop com mais de uma canção. Praticamente todos os outros nomes de minha playlist tem apenas a canção que nela consta. Mas o DJ escocês já possui em seu repertório a emocionante Blame it on the Night e a sensacional I Need Your Love. Mas tudo começou com sua primeira obra épica: Summer. Assim como Waves, a maestria dessa canção começa pelo título, afinal seria difícil alguém escolher nome menos apropriado para uma canção alegre e empolgante do que "Verão". E ela tem tudo o que a melhor estação do ano pode propôr: energia boa quando chega, emoção, história e ritmo quando permanece e um tom de tristeza no violino quando se vai. Summer é uma música feita para ser trilha sonora de algum momento inesquecível da sua vida. No meu caso, foi o verão que passei do outro lado do planeta.

Avicci - Wake Me Up



Uma vez fui num Pub com a minha namorada (que diga-se de passagem, conheci na Austrália). Era o St. Patrick's Day e eu queria passar a noite em algum Pub Irlandês só para não perder o costume. Encontramos um Pub inglês, pois todos os legítimos Irish estavam mais lotados que banco no último dia do mês. Sem problemas, o bar inglês serviria muito bem ao nosso propósito, pois propagandeava desde a fachada a festa de St. Patrick. No meio da noite, após algumas cervejas chegou um grupo de dançarinas irlandesas e apresentou uma dança típica da sua terra natal. Foi algo surpreendente e bonito, mas tornou-se épico por que elas escolheram Wake me Up para servir de trilha para a apresentação. Foi nessa hora que percebi o quão louca e maravilhosa é a vida. Eu estava na Austrália com minha colombiana, num pub inglês, vendo irlandesas dançando e tomando cerveja mexicana. Tudo isso ao som de um DJ sueco, soltando seu riff eletrônico pulsante e efervescente. Como ficar chateado com qualquer coisa quando há inúmeros eventos incríveis acontecendo à sua volta? O negócio é dançar no ritmo da música e ser feliz.

Clean Bandit - Rather Be



Ao contrário das outras canções da lista essa demorou pra me cativar. Eu tentava evitar. Trocava de rádio, ignorava quando estava num bar, mas no final das contas acabei cedendo ao refrão grudento e a voz afinada da vocalista de Clean Bandit. A canção mais famosa do grupo é daquela que poderíamos classificar como "bonitinha" se não fosse pelo poder que ela tem de te colocar pra cima. Rather Be tem em si uma alegria que logo te fará esquecer dos problemas e curtir o refrão cantando junto: "No no no no no, no place I'd rather be" e uma mensagem bastante verdadeira: para quem está de bem com a vida não há outro lugar para se estar. Terrivelmente boa!

Rita Ora - I Will Never Let You Down



Essa invadiu minha mente e se apoderou do meu bom senso enquanto eu estava sentado, inocente, aguardando meu Kebab umas 2 horas da manhã após sair de uma longa noite de trabalho. Foi ali, na TV irritantemente alta do empreendedor imigrante que a bela Rita Ora me chamou atenção. Quando vi aquele tenebroso clipe cheio de roupas espalhafatosas, batons provocantes e cores berrantes fui fisgado pela alma. Eu soube que estava diante de uma música que jamais iria me deixar em paz novamente. Até hoje quando ouço o riffzinho inicial daquilo que imagino que seja, o que? Uma Guitarra?, meu coração se enche de uma alegria cuiriosamente corajosa. Sinto que posso fazer o que eu quiser e até o presente momento a canção de Rita Ora não me decepcionou. Espero que nunca a faça ;)

Dedico esse post à outros que, como eu, se aventuraram e ainda se aventuram pelo mundo, seja em viagens inesquecíveis até os cantos mais distantes do globo, seja no churrasco de fim de semana espremido entre duas semanas de muito suor e trabalho. Obrigado por seus ensinamentos e pela amizade que teima em continuar firme e forte mesmo depois de tantos dias e quilômetros. À todos vocês, vida longa e boa música ;)

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...