Viaje neste blog

Publicidade

Para o Alto e Além

09/12/2014

A Nova Grande Canção do Deep Purple

No post sobre a canção Sometimes I Feel Like Screaming eu afirmei que aquela seria a "última grande música" lançada pelo Deep Purple. Na época em que escrevi o texto - mais de dois anos atrás - faziam nada menos que 16 anos que o Purple tinha lançado o disco "Purpendicular" e que trazia em seu recheio uma das maiores músicas da carreira do grupo. Por sorte, e meio que confiando na minha banda de cabeceira, coloquei um parênteses após o subtítulo, completando-o com "por enquanto". Pois bem, com o lançamento de "Now What", último disco da banda, lançado no ano passado, há uma nova canção ocupando o posto de Última Grande Canção da banda, dignamente compensando os 16 anos de atraso. Segue a letra:




Above And Beyond
(Gillan/Morse/Paice/Airey/Glover)

Light up a candle
Start one for me
Let it flot on the water
Right down to the sea

Draw back you curtain
Wave me goodbye
Lift up your arms
And look up to the sky

Start me a candle
Keep it alight
Put it there in the window
And I'll come back tonight

Touch me in the darkness
I'll send you a sign
Give me your loving
And I'll give you mine

I may be leaving
But I won't be gone
I'll be there
When you want me
Above and beyond

Nothing I can tell you
It's all up to you
I'll be here if you need me
Am I getting through

Rest on your sadness
And tomorrow we'll find
That souls, having touched
Are forever entwined

I may be leaving
But not for too long
I'll be there
When you want me
Above and beyond

Dê o play e comece a viagem:



Vamos à andança...

Above and Beyond é pomposa desde o título. Assim como os jargões do Super-Homem e do Buzzlightyear, "para o alto e avante", a canção do Purple parece começar escalando uma ladeira até cumes inalcançáveis. A subida acontece no riff que combina guitarra e teclado. Potencializados pela bateria, sempre precisa e forte de Ian Paice, o riff vai subindo escaladas e tons até chegar num agudo glorioso e inspirador. É o tipo de música que move exércitos que avançam contra alienígenas ou o tema musical que sobe depois de um filme em que o mocinho acaba de salvar o mundo. Quando atinge seu ápice, a canção relaxa, justamente como o alpinista que acabou de alcançar seu destino no topo do Everest. Ele pára, olha pro horizonte, satisfeito. É aí que Ian Gillan entra, começando a cantar de forma tranquila, porém sempre emocionante. Justamente quando ele chega no final de uma estrofe, dizendo "Look to the Skyyyyyyy" ("olhe para o céu"), sua voz mostra aquela velha e poderosa força jamais esquecida. O eco em sua voz só torna ainda mais incrível essa percepção. E já que estamos falando de uma banda lendária, membro do panteão de gigantes - e por quê não, dinossauros - do Rock and Roll, vale observar o teor da letra. Sa na instrumentação temos o melhor do bom e velho Purple: trio entre bateria marcante, guitarra poderosa e teclado absurdo - a letra também remonta aos maiores hits do grupo com uma poesia de despedida daquele velho amor jamais acabado. Permeando os versos temos tons surreais com o peso que só o Purple consegue produzir. Coisa que já vimos em canções de calibre de Perfect Strangers, Soldier of Fortune e Sail Away. No refrão, há um destaque mais uma vez para o título: "Posso estar partindo, mas não por muito tempo. Eu vou estar ali quando você quiser. Alto e além". Curiosamente o título do último álbum do Deep Purple é "Now What?!" algo que pode soar em português como "E agora?". A expressão pode sugerir uma brincadeira da banda que já no alto dos seus 40 anos de atividade se pergunta se ainda há algo que eles precisam fazer em vida. Creio que uma boa banda nunca deixa a música se esvair de suas veias e, embora confesso que tenha ficado na dúvida se o sangue do Purple ainda bombeava canções boas já que seus últimos 3 discos foram muito aquém do esperado, com Above and Beyond fica evidente que, quando quer, o grupo inglês ainda é capaz de sacudir com o que sabe fazer de melhor. Above and Beyond é apenas a melhor canção do disco, mas todo o resto merece uma audição carinhosa. Assim como os limites da música são infinitos, o Purple provou mais uma vez que o seu é sempre cada vez um pouco mais para o alto e além ;)

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...