Sobre o Autor

Minha foto

Sou um homem em constante dualidade. Metade de mim queria ser um astro do Rock. A outra metade um monge budista. O resultado disso foi um blog que mistura John Lennon e Jesus Cristo e um livro chamado Heróis e Anônimos.

A Magra

10/11/2014

Uma mulher e um clipe inesquecíveis

A ideia original de postar essa canção seria para escrever sobre uma banda ainda inédita no blog: a espanhola Jarabe de Palo. O mistério do destino, porém, foi que comprei o último disco do Santana, o excelente "Corazón", e la havia uma versão cover da canção da qual eu ia falar. Por incrível que pareça - mas não tão incrível assim quando lembramos de que se trata do Santana - a versão cover é ainda melhor do que a original. Por isso, desa vez falarei de mais uma música do Santana e deixarei para viajar com o Jarabe de Palo na próxima postagem. Segue a letra:




A Magra
(Jarabe de Palo)

En la vida conoci mujer igual a la Flaca
Coral negro de la habana, tremendisima mulata
Cien libras de piel y hueso, cuarenta kilos de salsa
En la cara dos soles que sin palabras hablan
Que sin palabras hablan

La flaca duerme de dia, dice que asi el hambre engaña
Cuando cae la noche baja a bailar a la tasca.
Y bailar y bailar, y tomar y tomar
Una cerveza tras otra pero ella nunca engorda
Pero ella nunca engorda

Por un beso de la flaca daria lo que fuera
Por un beso de ella, aunque solo uno fuera
Por un beso de la flaca daria lo que fuera
Por un beso de ella, aunque solo uno fuera

Mojé mis sabanas blancas, como dice la canción
Recordando las caricias que me brindó el primer día
Y enloquezco de ganas de dormir a su ladito
Porque dios que esta flaca a mi me tiene loquito
O-oh, a mi me tiene loquito

Por un beso de la flaca daria lo que fuera
Por un beso de ella, aunque solo uno fuera
Por un beso de la flaca daria lo que fuera
Por un beso de ella, aunque solo uno fuera

Dê o play e comece a viagem:



Vamos à andança...

Não sei se todos os meus leitores seguem a minha sugestão de ouvir a canção enquanto lêem, mas se for esse seu caso, pedirei à você um favor. Assista ao vídeo todo de uma vez antes de ler as próximas linhas. Ele é essencial para a viagem completa nessa canção. A versão de Santana é, de fato, melhor do que a original e muito se deve à sua guitarra sempre absurdamente frenética de fundo, ao solo avassalador e a voz malandra e apaixonada de Juanes. Mas parte do mérito da obra se deve ao vídeo. Se não crê em mim, apenas dê o play e veja com seus próprios olhos. Está aí uma peça única. Alguns diretores de clipes realmente acreditam que estão fazendo arte. Eles colocam cenas desconexas, misturadas com cores e efeitos para tentar expressar em imagens o que a canção inspira em som. Nenhum deles jamais fez algo próximo de arte, quando comparados com o clipe acima. Não há atores nesse clipe. Não há direção de fotografia. Há a arte pela arte. Afinal, quer forma mais eficaz de expressar o subjetivo que é a música do que ilustrações? Sim, o clipe é uma peça artística animada com cenários e personagens coloridos, cuja única função é descrever o que diz a letra. O desafio é pôr em tela a mesma dinâmica dos versos, além da paixão alucinada do narrador. Quando um trabalho difícil cai em mãos competentes o resultado tende a ser excepcional. É assim que vídeo e música se encontram como raramente aconteceu na história. Fortemente inspirado nas artes visuais e cultura mexicana - terra natal de Santana - o vídeo mostra muros da cidade com os versos escritos sempre animados de forma interessante. Quando não há o que escrever, ironicamente, é o ponto alto da obra.


O solo incrível de Santana, bem como a batida caribenha de fundo, ganham cores místicas e viagens espaciais e surreais, como somente poderia ser. Não há outra forma de falar da Magra senão for assim. Como descrever uma mulher icônica como essa sem recorrer ao absurdo? Você sabe. Pense numa mulher icônica. Aquela que marcou sua vida por uma razão que não necessariamente seja o romance. Aliás é justamente por isso que nosso narrador é tão aficcionado por ela. "Por um beijo da Magra eu daria o que fosse. Por um beijo dela, mesmo que fosse apenas um". Ela não é uma mulher comum. À começar pela aparência: "100 libras de pele e osso, 40 quilos de salsa e no rosto dois sóis que sem palavras falam". A magra, como toda mulher inesquecível tem suas peculiaridades. "Dorme de dia, diz que assim engana a fome e quando cai a noite vai dançar na taberna". Como não poderia faltar: "E dançando e dançando, e bebendo e bebendo, uma cerveja traz outra, mas ela nunca engorda!" Aqui um destaque para o vocal. Juanes canta toda a canção com a mesma emoção na voz, um fascínio que beira a loucura e às vezes à ultrapassa como aqui quando ele repete o verso ou quando grita, mais à frente: "Meu Deus, essa magra me deixa louco!" Outro destaque para o músico colombiano é quando ele grita repetidas vezes: "Aunque solo uno fuera... Fuera... Fuera... FUERAAAAAA". O solo, como dito acima, é o ponto máximo não só da música, como do vídeo, onde um Sol colorido divide o espaço com caveiras mexicanas e patos psicodélicos dançam num céu enfeitado por dragões. Pode parecer loucura, mas é justamente disso que essa canção se trata. E quem conheceu alguém como a Flaca - uma pessoa cujos limites são definidos pelo que não pode ser atingido - sabe que não há outra forma de exaltá-la. É o tipo de mulher por quem vale a pena morrer. O tipo de pessoa por quem vale a pena trocar tudo, mesmo que só por um beijo. O tipo de pessoa que fará tudo perder o sentido e te colocará numa posição de expectador, olhando, admirado, como, ainda assim, tudo se move perfeitamente ao redor dela ;)

2 comentários:

Ana Cristina disse...

Música ótima, Santana incrível e video espetacular!
melhor clip que já vi!

Felipe Andarilho disse...

Também acho, tia! Melhor clipe da história, principalmente na hora do solo! Obrigado pela visita! Bjssss

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...