Leia também!

[LANÇAMENTO] Santana's Corazón

03/09/2014


Que Santana ainda é um dos maiores nomes do Rock e da música atual, todos sabem. O que poucos percebem é que o músico mexicano tem uma incrível habilidade que o coloca em posição de destaque no meio musical. E não estou falando de sua exímia destreza com a guitarra. Falo sobre suas parcerias, ou digamos... convidados para sua festa.



Até meados da década de 90, Satana era um grupo de Rock normal. Isso de forma alguma quer dizer que eram ruins. Faziam um som bacana, tinham alguns riffs legais. Entraram na identidade psicodélica do Hard Rock setentista, bem como no pesado e grudento Hard Rock dos anos 80 e lançaram um ou dois hits eternos.

Mas nada se compara ao trabalho que iniciaram em 1999 com "Supernatural" e seguem fazendo até hoje.


Calcando seu som numa pegada mais latina, com percussões e coros caribenhos servindo de fundo para o show a parte que é sua guitarra, Carlos Santana optou por oferecer seus vocais à músicos de estilos variados. De Rob Thomas à Eagle Eye Cherry, De Everlast à Maná, cada um colaborou com a ascenção dos mexicanos à um patamar de respeito e destaque na música pop. Sim, deixaram de ser tao Rock and Roll e provavelmente perderam alguns dos fãs mais ortodoxos no caminho, mas em troca ganharam hits inesquecíveis e uma identidade sonora impecável.

É nesse ritmo que chegou, este ano, "Corazon", o vigésimo-segundo disco do grupo desde o começo da carreira e o quarto desde a revolução musical iniciada com "Supernatural" e seguida por "Shaman" (2002) e "All That I Am" (2005).

"Corazon" é, como seus antecessores, uma festa audiovisual - a começar por sua capa, um espetáculo à parte composto por uma ilustração mexicana da face do guitarrista. Tal arte é tão responsavel pela identidade renovada da banda quanto pelo som, sendo os encartes e video clipes do grupo sempre um prato cheio para os olhos. Confira abaixo o clipe de La Flaca, com participação de Juanez, da banda espanhola Jarabe de Palo.



Apesar de La Flaca ser uma canção de Rock deliciosa e altamente viajante, quem abre a festa do disco mesmo é o brasileiro Samuel Rosa, vocalista do Skank, uma das maiores bandas nacionais em atividade. Ele empresta sua voz para uma versão mais acelerada de Saidera, um hit absoluto brasileiro desde que foi lançada no disco "Siderado". Para quem ja é fa da obra, vale a pena conferir a nova roupagem criada por Santana com direito a solos enfurecidos do guitarrista.

O disco ainda segue com um batique altamente dançante de Mal Bicho, com participacao dos argentinos Los Fabulosos Cadillacs e a balada grudentíssima Amor Correspondido.

Como toda boa festa, há momentos de dança e loucura e momentos de relaxamento e descanso. É nessas horas que aparecem Una Noche en Napoles com um ritmo bastante caribenho que faz qualquer um ter vontade de largar tudo para ir para um bar litoraneo da America Central. Margarita com participação de Romeo Santos é outra balada tranquila e de graciosidade ímpar. A voz de Santos somada ao violão e as batidas suaves nos fazem visualizar aquele velho romance inesquecível, triste pela distancia, mas alegre pela memória. Confira:



Há ainda uma versão mais moderna e dançante de Oye Como Va, clássico do mambo eternizado por Santana em 1970.

O desfecho é outro ponto alto da festa, encabecado por conta de Ziggy Marley e ChocQuibTown que dividem os microfones numa versão espetacular de Iron Lion Zion, do lendário mestre Bob Marley. Arrepiante! Quando o último acorde e a última batida terminam, ficamos em silêncio com um eco incômodo na memória. O tipo de eco que permanece por alguns instantes - ou anos - depois de nos darmos conta de que presenciamos algo gigante e memorável.

É assim que, com algumas surpresas e faixas que justificam o por que de Santana ter se tornado tão querido e popular, "Corazon" se coloca na história como um dos maiores lançamentos de 2014. E que venham mais festas e mais convidados ;)

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...