Mais um livro do Andarilho

Você seria capaz de ser amado?

16/09/2014

Amor que muda o mundo

Há quem venha ao mundo e viva cem anos. Há quem venha e fique alguns meses - ou dias. A ninguém cabe entender os designeos do destino, mas o que é certo é que, cada um que por aqui passa, muda completamente o mundo de algumas pessoas. Há ainda aquelas pessoas de grande luz, cuja centrelha é capaz de mudar o mundo todo de alguma forma específica, e pelo curto tempo em que brilharam, se tornam ainda mais especiais. No meio musical isso aconteceu várias vezes. É o caso do mestre do Reggae, Bob Marley, cuja obra e influência permanecem vivas e fortes até hoje. Essa canção é do disco "Uprising", de 1980. Segue a letra:




Could you be loved and be loved?
(Marley)

Could you be loved and be loved?
Could you be loved and be loved?

Don't let them fool ya,
Or even try to school ya! Oh, no!
We've got a mind of our own,
So go to hell if what you're thinking is not right!
Love would never leave us alone,
A-yin the darkness there must come out to light.

Could you be loved and be loved?
Could you be loved, wo now! - and be loved?

(The road of life is rocky and you may stumble too,
So while you point your fingers
someone else is judging you)
Love your brotherman!
(Could you be - could you be - could you be loved?
Could you be - could you be loved?
Could you be - could you be - could you be loved?
Could you be - could you be loved?)

Don't let them change ya, oh! -
Or even rearrange ya! Oh, no!
We've got a life to live.
They say: only - only -
only the fittest of the fittest shall survive -
Stay alive! Eh!

Could you be loved and be loved?
Could you be loved, wo now! - and be loved?

(You ain't gonna miss your water until your well runs dry;
No matter how you treat him,
the man will never be satisfied.)
Say something!
(Could you be - could you be - could you be loved?
Could you be - could you be loved?)
Say something! Say something!
(Could you be - could you be - could you be loved?)
Say something! (Could you be - could you be loved?)
Say something! Say something! (Say something!)
Say something! Say something!

Dê o play e comece a viagem:



Vamos à andança...

Ontem, assistindo ao excelente filme sobre a vida de Ip Man (Ip Man, 2008), o artista marcial que foi mestre de ninguém menos que Bruce Lee, não pude deixar de pensar em como é curioso o fato de algumas pessoas virem ao mundo, criarem uma verdadeira revolução, e partirem tão repentinamente como vieram. Se é o caso de Bruce Lee nas telas de ação e no Kung Fu, na área da música pode-se dizer o mesmo de Bob Marley. O músico jamaicano surgiu numa época em que guerras assolavam o mundo e a opressão social em sua terra natal era grandíssima. De origem pobre, Marley cresceu em favelas, testemunhando a agressão da polícia, a violência cotidiana, as falsas promessas políticas e a ascensão dos ricos. Misturou tudo isso com aprendizados religiosos do Rastafarianismo e colocou-os no ritmo popular local, o Reggae. Estava pronta a receita que colocaria Bob Marley e sua banda, The Wailers, nos holofotes de todo o mundo. Sua poesia, sempre em tom de protesto contra a violência e propagação da paz, somada ao seu carisma, influenciaram músicos de todo o mundo, incluindo Eric Clapton (que regravou I Shot the Sherif), Rolling Stones, Ben Harper e Jack Johnson (que regravaram High Tide Low Tide) e H-Blockx. No Brasil sua força foi do grande Gilberto Gil até o poeta Chico Buarque. Sua canção No Woman No Cry, aqui rebatizada como Não Chore Mais por Gil já foi gravada por centenas de artistas. O ritmo e a poesia do músico são presentes também na música dO Rappa, sempre olhando para os mais pobres. Mesmo com toda essa atividade, Bob Marley se foi desse mundo cedo, como muitos músicos e artistas. Partiu aos 36 anos, mas deixou um legado importantíssimo de propagação do amor de da paz. Não há como não se render ao ritmo e a positividade do músico. Ouça Could You Be Loved e experimente. A introdução do baixo é promissora. Traz à tona um ritmo tranquilo e os coros que clamam pelo título da obra. Os arranjos te transportam instantaneamente para praia, algum quiosque à noite rodeado de pessoas alegres, luzes coloridas e música boa. Na letra Marley discorre sobre a necessidade de manter a autonomia de pensamentos e não deixar-se manipular pelas autoridades. Ele diz com sua voz tranquila, porém apaixonada: "O amor nunca vai nos deixar, não há sombra que nunca virá à luz". A garota com quem Marley divide os microfones também faz bonito, com seu jeito sussurrado de cantar. Ela diz: "Enquanto você aponta seus dedos, outro alguém julga você". Um ensinamento há muito presente no mundo, mas pouco praticado. "Não julgueis para não ser julgado". Foi Jesus quem disse, e se o amor é o que resume sua obra, Marley logo acrescenta: "Ame seu irmão, cara". O refrão é daqueles de te fazer cantar junto, dançar e colocar as mãos pra cima. Nos versos outra pequena reflexão. Afinal, você seria capaz de ser amado? Muitas vezes os defeitos maiores das pessoas não são a pouca doação de amor, mas a alta resistência ao amor alheio. Somos muito orgulhosos. Muito ocupados. Não temos espaço, nem tempo para os outros. Não precisamos do amor de ninguém. Somos auto-suficientes. Bob Marley pega toda essa arrogância e egoísmo, os enrola bem pequenos e os faz se esvaírem como fumaça no meio de uma dança de igualdade e harmonia. Sim, ele partiu cedo, mas como um bom mestre, soube o que fazer em seu tempo e, como um bom herói, fez o seu melhor com amor. Parece profético quando ele grita no meio dos versos, aquilo que viria a fazer, mesmo muito tempo depois da morte: "mantenha-se vivo" ;)

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...