Leia também!

Não há amor no coração da cidade

22/10/2013

Vamos mudar um pouco esse panorama

Faz tanto tempo que não viajo com algumas bandas que chego até a me sentir um intruso ao ouvir seus álbuns novamente. Mas como amor de Rock é igual amor de mãe, não há distância ou tempo que possa diminuir qualquer carinho ou apreço por uma banda. E basta ouvir um disco novamente para saber que, como o bom e velho amigo há muito tempo longe, nada mudou nessa relação. É o que aconteceu agora entre eu e Whitesnake. Essa canção é das primeiras que me fez admirar a banda, parte do seu disco de 1978, "Snakebite". Segue a letra:




Ain't No Love In The Heart Of The City
(Price/Walsh)

Ain't no love in the heart of the city,
Ain't no love in the heart of town.
Ain't no love, sure 'nuff is a pity,
Ain't no love 'cos you ain't around.
Baby, since you been around.

Ain't no love in the heart of the city,
Ain't no love in the heart of town.
Ain't no love, sure 'nuff is a pity, child
Ain't no love 'cos you ain't around.

Every place that I go,
Well, it seems so strange.
Without you love, baby, baby,
Things have changed.
Now that you're gone
Y'know the sun don't shine,
From the city hall
To the county line, that's why

Ain't no love in the heart of the city,
Ain't no love in the heart of town.
Ain't no love, sure 'nuff is a pity,
Ain't no love 'cos you ain't around.

Every place that I go,
Well, it seems so strange.
Without you love, baby, baby,
Things have changed.
Now that you're gone
Y'know the sun don't shine,
From the city hall
Woman, to the county line, that's why

Ain't no love in the heart of the city,
There ain't no love in the heart of town.
There ain't no love, sure 'nuff is a pity,
Ain't no love 'cos you ain't around.

There ain't no love in the heart of the city,
There ain't no love in the heart of town.
Ain't no love, sure 'nuff is a pity,
Ain't no love 'cos you ain't around,
'Cos you ain't around.

Dê o play e comece a viagem:



Vamos à andança...

Como já falei aqui algumas vezes, Whitesnake foi uma das primeiras bandas de Rock que gostei na vida. Ain't No Love In The Heart of City é uma das canções que eles gravaram que mais me fizeram viajar desde o começo do meu carinho pela banda, nos meus primeiros anos de faculdade e primeiros empregos. "Não há amor no coração da cidade". Eu ainda não tinha viajado muito pelo mundo, mas já sabia que essa frase era puramente verdadeira. A beleza de São Paulo me mostrou que, infelizmente seu amor é desproporcional ao seu tamanho. Uma rápida visita ao centro - ou qualquer um dos vários centros comerciais - é suficiente para atestar essa sentença, com moradores de rua, gente passando fome e tanta violência. Nesse ponto, minhas viagens serviram para me ensinar que a triste constatação não serve só para São Paulo. No lindo Rio de Janeiro também é assim. E a lendária Florianópolis não fica atrás. Cidade pequenas do interior - ainda que em menor medida - também sofrem com a falta de amor. E não é só no terceiro mundo. Em Perth, Melbourne, Auckland e Wellington - sem tanta violência, mas com o mesmo vazio - a situação é igual. Não preciso ir para Denver, Quito, Paris ou Jerusalém, para saber que o fato se repete por lá também. Como David Coverdale diz, nesse ritmo doce e emocionado: "Todo lugar que eu vou, bem, me parece tão estranho". No caso do Whitesnake, o problema com a cidade é um reflexo do conflito interior entre o narrador e sua amada. Ele diz com um balanço delirante e backing vocals incríveis: "Sem seu amor, as coisas mudaram. Agora que você se foi, o sol não brilha mais, desde o centro da cidade até os arredores". Preferi enxergar esse romantismo como uma alegoria para o amor de modo geral. Aquele amor fraternal há muito esquecido, mas que teoricamente move pessoas independente de qualquer ligação sanguínea ou romântica. Um amor ligado ao respeito mútuo. É esse amor que falta na Cidade e torna tudo mais cinza e menos vívido. São pessoas que, mesmo vivendo na mesma comunidade, se tratam como inimigos ou ainda pior: como invisíveis. O refrão maravilhoso, repete: "Não há amor, isso é uma pena com certeza". Foi essa triste percepção que fez Christpher McCandless deixar a cidade e viver por conta própria mundo afora. Acredito que a mesma impotência dominou Henry David Thoreau, ao fazê-lo deixar a cidade e ir morar nas margens do Lago Walden. Segundo o autor: "Fui para a mata para ver o que a vida tinha a ensinar, em vez de, vindo a morrer, descobrir que não tinha vivido". Quando não há amor na cidade, não há vida. Observe bem. Olhe nos olhos de algumas pessoas que cruzarem seu caminho no dia a dia da cidade. Como disse Jesus, "os olhos são as lâmpadas do corpo". Mas ao olhar nos olhos dessas pessoas, procure ver se há algum lá dentro. Talvez a luz esteja acessa mas não há ninguém em casa. É a falta de amor no coração da cidade. Ao ouvir um aquecido Rock and Roll com um ritmo suave e uma guitarra delirante como essa, nossa obrigação é retribuir a benção e aquecer o mundo. Dê seu melhor ao seu vizinho. Divida o que você tem, nem que seja só um pouco de tempo ou um sorriso, com a pessoa que, por acaso ou por artimanha do destino, calhou de morar na mesma cidade que você. Se estamos dividindo o mundo nessa vida, compartilhemos um pouco de carinho. Mudar o mundo é um trabalho e tanto. Mas comece pela sua cidade e o resto acontecerá naturalmente ;)

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...