Viaje neste blog

Publicidade

Tranquilo

31/07/2013

União musical entre pessoas

Mais de um poeta ou escritor já disse que a música não tem fronteiras. Mas é fácil ouvir observações aparentemente simples e assentir com a cabeça como se já soubéssemos disso faz tempo. O difícil mesmo é prestar atenção e perceber a grandiosidade do que foi dito e quem sabe um dia, com alguma sorte, vivenciar a mesma experiência que aquele abençoado teve ao proferir tamanha sabedoria em palavras. Tive sorte e o Faith No More me ajudou a entender com essa canção do disco "Angel Dust" de 1992. Segue a letra:




Easy
(Richie)

Know it sounds funny
But I just can't stand the pain
Girl I'm leaving you tomorrow
Seems to me girl you know
I've done all I can
You see I beg, stole and I borrowed
Yeah! Uh, uh!

That's why I'm easy
Oh, oh, oh, oh
I'm easy like Sunday morning
Oh, oh, oh, oh
It's why I'm easy
Oh, oh, oh, oh
Easy like Sunday morning

Why in the world would anybody put chains on me?
I've paid my dues to make it
Everybody wants me to be
What they want me to be
I'm not happy when I try to fake it! No!

That's why I'm easy
Oh, oh, oh, oh
I'm easy like a Sunday morning
Oh, oh, oh, oh
It's why I'm easy
Oh, oh, oh, oh
Easy like Sunday morning

I wanna be high, so high
I wanna be free
To know the things I do are right
I wanna be free
Just me, oh, babe!

Vamos à andança...

Sim, a música não tem fronteiras. Não há língua, idade, país, opção sexual ou caminho espiritual que possa separar duas pessoas unidas por uma boa música. A Austrália é um país cosmopolitano. Aqui podemos achar pessoas de todos os cantos do mundo. Diferentes etnias e religiões convivem numa paz interessante de observar, capaz de mostrar que a Coexistência pregada pelo U2 pode realmente funcionar, desde que seja calcada no respeito mútuo. Outro dia fui à um bar com um amigo brasileiro e uma amiga indonésia. Lá haviam vários australianos, alguns neo-zelandeses e provavelmente pessoas de outros países que eu nem imaginava. Mas o fato é que quando começou a tocar Easy do Faith No More na jukebox, pude presenciar um momento mágico de união espiritual. Quando começou o pianinho suave que introduz a canção, todos aproveitaram a leve embriaguez para fingir tocar um piano imaginário. Alguns até se arriscaram a acompanhar Mike Patton nas estrofes. A tarefa é difícil para os que não dominam o inglês perfeitamente ainda, mas altamente louvável por sua coragem. No refrão, porém, não houve como se segurar. Afinal é fácil memorizar apenas uma frase tão docemente cantada quanto: "Estou tranquilo. Tranquilo como uma manhã de domingo". Se o narrador da canção estava tranquilo em partir, pois sabia que fez o melhor que pode naquela relação amorosa, todos no bar estavam tranquilos por tentarem com todo coração, acompanhar a bela melodia. Mas é claro que o momento de maior entrosamento foram os backing vocals que permeiam esse refrão. Enquanto todos cantavam, sem vergonha e com apreço, aqueles "Ahhh ahh ahhh" pude ouvir em uníssono a voz de Deus. Não haviam mais nacionalidades diferentes ali. Faith No More nos lembrou de que, antes de sermos cidadãos de países diferentes, somos irmãos compartilhando o mesmo mundo. Com seu ritmo lento, agradável e tranquilo, Easy nos mostrou que não há separação entre as pessoas. Não existe mais "meu" e "seu". É tudo "nosso", pois somos todos um. A arte é uma conexão direta com o Divino e provou-se, naquela tarde, num bar qualquer de estrada, que o Sagrado habita em cada um de nós. Só precisamos de um pouco de esforço para que qualquer ilusão que tente nos separar dos demais seja eliminada. À essa percepção da realidade, onde todos são interligados por um único Espírito os budistas chamam de Nirvana. E mais uma vez eu pude perceber que tal condição é real e tão possível de ser atingida quanto a perfeição de uma música. Easy é uma canção perfeita. Ainda que seja um cover dos Commodores, está ali, na versão do Faith No More, algo único. Não é melhor, nem pior que a obra original. São duas inspirações diferentes que só provam que há ainda mais pessoas envolvidas naquele momento único do bar. Não fossem meus amigos ou os desconhecidos ali presentes, nada seria igual. Não fosse o dono do bar ter comprado uma jukebox com músicas de qualidade, tudo seria diferente. Não fosse o Faith No More ter decidido regravar Easy há 20 anos atrás, o que poderia ter acontecido? Não fossem os Commodores, ou os engenheiros de som, os músicos convidados, o ilustre desconhecido que inventou o microfone ou a própria mãe do vocalista que decidiu ter um filho, aquele momento milagroso teria se perdido para sempre. Todos os momentos carregam milhares de histórias e conectam milhares de pessoas. Ouça as músicas e esteja atento para não deixar momentos tão preciosos escaparem ;)

Nunca ouviu?

2 comentários:

Fabio CS disse...

exto maravilhoso, parabéns.Fabio

Andarilho disse...

Obrigado padre!!! Sucesso!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...