Viaje neste blog

Publicidade

Táticas

22/05/2013

Duas artes. Uma viagem.

Ah, o mundo globalizado... A facilidade de acesso à diversas informações é algo que contribui e muito para a divulgação de boa música. Rock and Roll é algo sem linhas imaginárias e seus artistas, mesmo quando a internet ainda engatinhava, já compunham diversas canções ótimas em dezenas de países completamente distintos. Enquanto o Lynyrd Skynyrd tomava whisky e tocava no sul dos Estados Unidos, por exemplo, os Scorpions lá da Alemanha destilavam seu Hard Rock. Ao mesmo tempo que Santana crescia no México, Eric Clapton solava furiosamente na Inglaterra. Se no Brasil, tinhamos o Made arrebentando na Pompéia, do outro lado do globo, o ACDC botava Sydney à baixo na Australia. E assim as coisas fluem como se tudo fosse uma completa e tranquila harmonia. Mas e o Japão? Nem o mundo globalizado e conectado do Rock and Roll coloca os japoneses em evidência, mesmo sendo eles um dos maiores públicos de Hard Rock do mundo. Para quebrar esse preconceito com o povo da Terra do Sol Nascente, hoje vou falar de um rock and roll sensacional japonês. É da banda Yellow Monkey e foi lançada no disco "Four Seasons" de 1995. Segue a letra:




Tactics
(Yoshii)

Kira tto shita kimi no me ni
Doki tto shita hirusagari
Shakki tto shita ore no karada
marude tamesareteru you ni

Tsun tto shita kimi to kuuki ni
zoku tto shita koigokoro wa
Zara tto shita suna wo kami
sareru ga mama yoru ni naru

Sorosoro jiman no kuchibiru de
wain wo nomasete kurenai ka
Mangetsu no yoru ni musubareta
otoko to onna wa eien sa

Hageshiku Lady Ah Give me your love
Ayashiku Lady I need your love
Tama ni miseru
samishige na me ga
Uso ka hontou ka
wakaranai
Sunao ni Lady Ah Give me your love
Kanjite mite Lady I need your love
Kimi no shigusa ni
furimawasarete
Muchuu no ai wa
ore no naka de odoru

Sara tto shita kami wo toki
tsuya tto shita hada wo yose
Kotoba-asobi wo suru you ni
kimi wa ore wo moteasobu

Kakehiki wa tsuyoi kimi no naka
Ayamachi wa yowai ore no naka
Suki na dake tanoshimeba ii sa
Otoko to onna wa eien sa

Hageshiku Lady Ah Give me your love
Ayashiku Lady I need your love
Tama ni miseru
yasashii egao ga
Uso ka hontou ka
wakaranai
Sunao ni Lady Ah Give me your love
Kanjite mite Lady I need your love
Kimi no shigusa de
ore wo koroshite
Sono isshun ga
nani yori shiawase sa

Yami no naka odoru
dakishimete odoru
Nando demo odoru
eien ni odoru
Eien ni odoru
eien ni odoru

Vamos à andança...



Não, eu não sou um descobridor de bandas e justiceiro do Rock que tenta jogar uma luz em bandas que não fizeram tanto sucesso como mereciam. Sei tanto do que se passa no cenário musical do Japão quanto entendo de astrofísica. Não é que eu não saiba nada. É que ainda preciso estudar muito pra chegar no patamar de "nada". Mas talvez esse texto sirva pra eu evoluir um pouco nessa escala. De quebra, pode fazer você conhecer uma banda bacana la do outro lado. O único fato que me levou a conhecer essa canção da banda Yellow Monkey foi que ela foi usada como encerramento de um importante desenho que marcou minha vida. Rurouni Kenshin, ou Samurai X, como ficou conhecido no Brasil é um mangá (quadrinho japonês) criado por Nobuhiro Watsuki que conta a história de um samurai andarilho que vaga pelo Japão da Era Meiji em busca de redenção por seus assassinatos passados. Para isso, Kenshin, o samurai em questão, passa a utilizar uma espada sem corte (ou mais precisamente, com corte do lado de dentro), o que faz com que ele não mate mais ninguém e utilize suas habilidades apenas para derrotar aqueles que ameaçam uma paz construída com tanto sangue. Como todo mangá de sucesso, Rurouni Kenshin virou um anime (desenho animado japonês) e ganhou o mundo com seus personagens carismáticos e lições de vida que nem Roberto Shinyashiki conseguiria passar. Tudo bem, mas que raios essa música tem a ver com toda essa história? Bem, Samurai X foi um dos desenhos com as melhores canções de abertura e encerramento que já existiu. Até hoje tenho a trilha sonora armazenada no meu HD e mesmo que um dia eu precise formatá-lo, vou fazer questão de salvar essa trilha num backup. O primeiro encerramento do desenho foi ao som de Tactics, da banda Yellow Monkey. Não bastaria que o desenho em si fosse extraordinário. Não bastaria que Kenshin Himura fosse uma das maiores inspirações da minha vida e por causa dele eu adotaria a alcunha de "Andarilho". Não bastaria que os heróis daquele quadrinho me ensinassem que um mestre de verdade não precisa desembainhar sua espada para vencer seus piores inimigos. Não bastaria que, após 56 volumes comprados mensalmente, eu aprenderia muito mais sobre amizade e coragem do que em qualquer evento da vida. Nada disso bastaria. Os caras ainda tiveram que colocar uma sonzeira fenomenal pra encerrar cada capítulo da obra. Se Samurai X era um desenho cheio de energia, vivacidade e reflexos rápidos, então tudo isso combinava perfeitamente com Tactics. A canção do grupo japonês começa com uma guitarra violenta, rápida como o corte preciso de um espadachim que chama uma vocalização harmoniosa que se funde com a instrumentação. Quando a instrumentação desse, naquele momento de tensão em que os dois oponentes se enfrentam mentalmente, a voz do cantor Kazuya Yoshii entra cheia de uma paixão efervescente com a qual ele descreve seu amor por uma moça encantadora. Seu amor por ela é forte, vibrante, daqueles que faz o sangue correr mais rápido. É como a tensão que antecede um bom duelo. Para o artista marcial há amor na batalha e não apenas agressividade. Aliás, para um artista marcial agressividade é quase um defeito. A luta é como uma dança. É preciso estar focado, relaxado, entregue ao momento. E é assim que a canção se entrega, com suas aceleradas e descidas perfeitas até um solo de guitarra inspirado - tão certeiro e delicado quanto o golpe final que encerra a luta e liberta qualquer emoção. É a hora da verdade na qual os mestres sempre saem vitoriosos, mesmo que eles não busquem vitória alguma. É assim que Yellow Monkey finaliza sua obra. Como eles, Kenshin, o Andarilho inspira jovens ao redor do mundo. Música e Espada são artes. E aqui elas foram combinadas como se nunca tivessem sido duas coisas distintas. Talvez não sejam mesmo ;)

Nunca ouviu?

Em guarda! Escute:

2 comentários:

nanasparks disse...

"Bem, Samurai X foi um dos desenhos com as melhores canções de abertura e encerramento que já existiu."

Sou obrigada a concordar. Infelizmente não acompanhei o anime de cabo a rabo, tampouco li todos os mangás, mas se tem uma coisa de que me lembro bem é como a trilha sonora era perfeita, principalmente 'Tactics'. Era tão viciada nessa música que, as vezes, nem me importava em perder o episódio contanto que eu conseguisse ouvi-la no final.

Nem ouço muito J-Rock, mas 'Yellow Monkey' e 'L'Arc~en~Ciel' têm que estar na minha playlist!

Felipe Perazza disse...

Heeeeeeeey Nanasparks! Que bacana saber que há alguém por aí que também pira nas músicas do Kenshin. Sou fanático por esse desenho/mangá/obra de arte. A trilha sonora é incrível. Ainda vou escrever sobre Heart of Sword. Na verdade foi bem difícil decidir sobre qual escrever, mas Tactics ganhou pelo riff. Obrigado pela visita e volte sempre! Abraços!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...