Viaje neste blog

Publicidade

Remédio

02/01/2013

A cura por meio da música

Pra começar o ano com o pé direito, nada como uma das melhores músicas de uma das melhores bandas que existe. Pra quem ainda não conhece Black Crowes, aqui fica o melhor caminho para se tornar fã, pois essa é uma de suas músicas mais queridas e pedidas. Parte do disco "The Southern Harmony and Musical Companion", de 1992, tal canção é bastante indicada pra ser ouvida pegando uma estrada - como é o caso de quase todas canções da banda, diga-se de passagem. Segue a letra:




Remedy
(Robinson/Robinson)

Baby, baby, why can't you sit still?
Who killed that bird out on your window sill?
Are you the reason that he broke his back?
Tell me, did I see, you baby laugh about that?

If I come on like a dream?
Will you let me show you what I mean?
Will you let me come on inside?
Uh, Will you let it glide?

Can I have some remedy?
(All i want is a remedy)
Remedy for me, please
(For all of the things ailing me)
If I'd some remedy
(Uh, I would take enough)
I'd take enough to please me
(please me)

Baby, baby, why you dye your hair?
Why you always keeping with your mother's dare?
So, baby, why's who's who, uh, baby, i know you too?
Tell me, did the other children scold on you?

If I come on like a dream?
Uh, will you let me show you what I mean?
Will you let me come on inside?
Oh, Will you let it slide?

Can I have some remedy?
(All i want is a remedy)
Remedy for me, please
(For all of the things ailing me)
If I'd some remedy
(I would surely take enough)
I'd take enough to please me
(to please me)

Hm! I need a remedy, hã, yeah...
For what is ailing me, you see, hã!
I need a remedy, for what is ailing me
I need a remedy, yeah, for what is ailing me

Everybody ought to have a remedy
You see I'll find it
You see maybe I want it
Uh, You see I'll find it
Uh, I really want, I really want it
You see i need it
Oh, I really wanna tell you all about it, Yeah
I wanna screm it
Hah, uh! I feel I just wanna shout about it
I need a remedy, remedy, remedy, remedy, remedy, remedy, remedy, remedy
Remedy that's what I need

Vamos à andança...

Infelizmente Black Crowes ainda não é tão conhecido por aqui como um Creedence ou Lynyrd Skynyrd, por exemplo. Mas certamente merece a mesma fama dessas influentes bandas de country rock, dada a qualidade de seus trabalhos. Qualquer trabalho. Talvez seja pela época. Enquanto os antecessores dominavam as rádios nos tranquilos anos 70, Black Crowes é atual. Vive numa época mais acirrada em que as possibilidades de exposição são maiores, porém a quantidade de informação com que lidamos diariamente é ignorantemente maior. A banda de Atlanta parece não se importar com isso. Encontraram seu nicho e lá tocam, felizes, realizados. Quem sofre com isso somos apenas nós. Os fãs fazem o que podem. Sempre que quero apresentar Black Crowes à alguem começo por Remedy. Todos, de repente, sorriem ao perceberem que já conhecem a banda. É um momento único, sensacional, ver os sorrisos no rosto de quem ouve esse riff inicial de Rich Robinson pela primeira vez: uma sequencia de acordes que misturam peso e calma num equilíbrio perfeito e raro. O riff é permeado por pancadas secas na bateria de Steve Gorman, numa combinação que traduz em música a dualidade que a letra pede. Chris Robinson, o vocalista, demonstra em uma de suas melhores performances (depois de Horsehead, é claro), toda dor e desespero que perturba o narrador. Ele canta cada verso como uma pergunta numa forma de expor toda preocupação apaixonada de sua mente diante de sua amiga correspondente. Repare entre cada verso, um trecho da guitarra avassalador - rápido e emaranhado. Como dito acima, o equilíbrio é o que domina a obra. Harmonia é um dos maiores valores dos Corvos Negros e cada trecho nos faz crer que todas suas canções foram gravadas com cada integrante de olhos fechados, sorrindo, curtindo a jam - plenamente feliz por fazer parte desse grupo. Ao chegar no refrão as perguntas angustiantes se revelam num pedido de socorro em que Chris canta em conjunto com as arrepiantes backing vocals com suas vozes potentes e maravilhosas: "Posso ter um remédio? Um remédio, por favor! Por tudo que está me afligindo. Se eu tivesse um remédio, eu tomaria o bastante pra me acalmar". Na segunda metade da canção, a obra tem uma caída magistral em que Chris acelera nos vocais, a guitarra dá uma trégua por alguns segundos, mas é logo substituída pelo teclado viajante de Eddie Harsch. Tudo isso resulta numa variação perfeita da instrumentação inicial - mais um indício do equilíbrio incrível que move o grupo. Caso você esteja sofrendo por uma dor qualquer - seja mental, espiritual ou corporal - seja uma leve preocupação cotidiana ou um remorso antigo que ainda te corrói, ouça Remedy. Talvez a cura não seja imediata, mas uma dose diária dessa canção, ouvida e sentida com o coração certamente irá te aliviar por completo ;)

Nunca ouviu?

Aqui está a cura. Escute:

2 comentários:

Renat disse...

Música foda!
Obra-prima da banda

Andarilho disse...

Certeza mestre! Essa é top das top! De pegar a estrada e fazer a viagem multiplicar por 4. Valeu pelo comentário. Aquele abraço!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...