Mais um livro do Andarilho

Sofrimento bom

01/11/2012

Feriado pede música para viajar

Está chegando mais um feriadão. Esse ano fomos agraciados pelas forças Superiores com vários feriados na quinta e na sexta-feira. Como não somos políticos e consequentemente nossa semana de trabalho possui pelo menos cinco dias, é de se comemorar qualquer feriado que nos dê um pouco de descanso em meio à labuta diária. Mas e quando o feriado é sobre a Morte? Vale a pena aproveitar ou é melhor refletir? Para essa análise, vamos ao som de uma música para viajar - não só mentalmente - mas também no seu sentido mais literal: pegar uma estrada. É do Foo Fighters e faz parte do seu disco de estréia, que leva o nome da banda e foi lançado em 1995. Segue a letra:




Good Grief
(Grohl)

Since I'm putting down
All of the true things around but I like it
I handed down the crown
Given the jewels and the answers of may
The thought of being ousted
Comes and goes, comes and goes
When I think about it
The wind blows

Hate it
Hate it
Hate it
Hate it
Hate it
Hate it
Hate it

Run me out of town
Somewhere a move might intended a gown at
Pissed at all the bowels
Always the blues and a delicate smile
Missed all of the sideways
Gull and noun, gull and noun
Chills and petty band-aids
Wrapped around

Hate it
Hate it
Hate it
Hate it
Hate it
Hate it
Hate it

Vamos à andança...

(Funny Death, por Airesnf)

Nunca sei como reagir à morte. Aliás, nunca sei como demonstrar aos outros o que penso da morte sem ofender a pessoa que, chateada, me abre seu coração. Nossa cultura ocidental e religiosa nos ensina a nos tornar reclusos, refletir e orar pelos que se foram numa solenidade deveras silenciosa e melancólica. Essas mesmas doutrinas religiosas nos ensinam que a vida é transitória e que, após seu término seremos conduzidos à um Reino Superior, caso sejamos merecedores. Se não for o caso, alguns dizem que retornamos para redimir o mundo de nossos erros, outros dizem que passamos a servir num estágio transitório entre a terra e o além, afim de nos purificar e compreender finalmente a graça e a beleza da vida. Em ambos os casos - muito parecidos por sinal -, a morte representa uma passagem de nível. Se há bondade, é bem provável que a pessoa que daqui partiu esteja num lugar, no mínimo, mais agradável que nosso mundo turbulento. Entretanto, por quê ficarmos tristes? Por quê se vestir de preto, chorar e deixar de olhar a beleza das coisas que nos cercam? Nesse ponto, fico com nosso irmãos Vikings que comemoravam, davam risada e bebiam cerveja no funeral dos amigos. Afinal, há maior glória do que morrer como um guerreiro e ser recebido no Palácio do Valhalla para encontrar seus velhos amigos e passar o resto dos dias numa felicidade plena? Ok, você pode não ser pagão, mas a analogia serve para qualquer filosofia religiosa. Ser um guerreiro não necessariamente implica enterrar espadas em crânios alheios. Como meu Mestre Thomas me ensinou, ser guerreiro é sobreviver às pancadas diárias e continuar fazendo seu melhor. É sorrir e demonstrar benevolência quando te ofendem. É trabalhar duro para sustentar seus filhos. Há maior guerreiro do que aquele que vence seus próprios defeitos? Tememos o que desconhecemos e a morte certamente é um mistério. Mas tenha fé. Ela não é tão ruim quanto parece. Como diria Sócrates, no Guerreiro Pacífico: "A morte não é triste. Triste é que a maioria das pessoas não chega a viver realmente". Não estou incitando uma apreciação pela morte. Mas o fato é que a morte é inevitável, implacável. E quando você se dá conta disso e vive uma vida com amor e servidão, a morte deixa de causar medo. Um guerreiro não teme nem procura a morte. Apenas procura viver da melhor forma para estar preparado quando a hora chegar. Tente encarar a vida e morte com despreocupação. Nunca afirmaremos com exatidão sobre o que há do outro lado. Há coisas que simplesmente não possuem explicação. Então viva da melhor forma. Tenha algo em que acreditar e simplesmente viva. Deixe a morte pra lá por enquanto. Quando a hora chegar certamente você olhará pra trás sem arrependimentos. Não chore pelos que se foram. Eles estão bem. Chico Xavier disse que lágrimas de revolta fazem mal aos nosso irmãos que estão do lado de lá. Segundo o Mestre aquela saudade boa, por outro lado, faz muito bem à eles. Tenha isso em mente e aproveite o feriado sem ressentimentos. Aproveite para encontrar seus amigos, fazer um pique-nique no parque com a família, observar os pássaros, ir ao cinema com a namorada, viajar pra praia e descobrir Deus em cada um desses momentos. Aproveite para viver a vida, pois ela é preciosa e única. Viaje ao som de Foo Fighters. Good Grief é uma boa pedida. Ironicamente o nome significa "bom sofrimento", o qual suponho, seja o mesmo tipo de sentimento citado por Chico Xavier. A levada da guitarra de Dave Grohl tem um poder e uma ondulação que lembra praia e alegria. As frases cantadas de modo acelerado servem pra te instigar a curtir e apreciar esse momento especial. Normalmente no feriado de Finados chove, mas se houver sol, você já sabe que deve ir em direção ao mar com seus amigos e essa canção tocando alto ;)

Nunca ouviu?

"Sofrimento" é só no nome dessa música. Escute:

2 comentários:

Lucas Montenegro disse...

Muito bom cara, concordo com o que você disse. Acho que ainda temos um medo desse tema que não faz muito sentido. Claro que é compreensível, mas enquanto muita gente evita até mesmo falar sobre morte, devíamos é enxerga-la como algo inerente à vida, e ter consciência de que ela chega, motivando-nos a buscar uma passagem mais plena aqui por essa vida.
Tenho até no meu blog um poema que escrevi sobre a morte, lembrei dele. Se te interessar ó
http://palavraaovivo.blogspot.com.br/2012/07/morte.html

Abraço

Andarilho disse...

Fala grande Lucas!! Valeu pelo comentário. Po primeiro de tudo ja curti q vc tem um blog. Nao sabia agora vou acompanhar! E vc falou tudo sobre o tema. Somos ainda muito restritos nesse assunto, mas podemos aprender muito com a consicencia da morte. Valeu, apareça sempre!! Abs

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...