Mais um livro do Andarilho

Politicalamidade

18/09/2012

Somos governados por um zoológico

Faz tempo que minha amiga Viviane me indicou a banda Extreme, do grande guitarrista Nuno Bettencourt. Não conhecia nem a banda e pouco do guitarrista além do famoso nome. Descobri então que o grupo, oriundo de Massachusetts, fazia um dos tipos de sons que mais agradava: aquela famosa mistura de Hard Rock com Funk e Metal, tão difícil de explicar, mas que originou bandas tão queridas como Red Hot Chili Peppets e Living Colour. Essa canção faz parte do disco "III Sides to Every Story", lançado em 1992. Segue a letra:




Politicalamity
(Cherone/Bettencourt)

Wars and rumors
Of wars no one knows what for
Toys and soldiers
Deployed on some foreign shore
Lords and rulers
Destroy diplomatic rapport

Communists, dictatorships
Democracies, hypocrisies
Ask not what your country can do
To a one world governmental zoo?

Political, political
Politicalamity
It's anarchy
Political, political
Politicalamity

Rich and poor
Salute your country's colors
Less is more
When one oppresses the other
Pride and power
Decorated upon collars

Donkeys, bears and elephants
All paper trained on parliament
I said, "Ask not what your country can do
To a one world governmental zoo?"

Political, political
Politicalamity
It's anarchy
Political, political
Politicalamity

Ask not what your country can do
To a one world governmental zoo?
Ask not what your country can do
To a one world governmental zoo?

Political, political
Politicalamity
It's anarchy
Political, political
Politicalamity, yeah, yeah, yeah

Yeah, yeah, yeah
It's anarchy

Well I say we got trouble, trouble, trouble
Trouble, trouble, trouble, trouble
We saw that was coming

Vamos à andança...

A mistura de sons já é percebida logo nos primeiros segundos da canção. Ela começa com um riff fervoroso de Nuno Bettencourt, logo seguido pelas pauladas de Paul Geary. Em meio à essa onda Hard, o som é atravessado por trompetes excelentes, que mandam um riff tão contagiante quanto o do guitarrista. A mesclagem é enérgica e gostosa de ouvir e combina bem com o vocal rasgado e caricato de Gary Cherone que logo começa a descrever a tal da Politicalamidade, uma excelente e bem montada crítica ao sistema de governo corrupto, que nós brasileiros conhecemos como ninguém. Ele começa, já agudo e forte: "Guerras e rumores de guerras que ninguém sabe por quê. Brinquedos e soldados deportados para alguma costa estrangeira. Senhores e governantes destruindo relacionamentos diplomáticos". Logo a viagem segue por mais uma estrofe interessante: "Comunistas, ditaduras, democracias, hipocrisias. Não pergunte o que seu país pode fazer por um governo mundial de animais". Essa frase "Ask not what your country can do to a one world governmental zoo?" é a peça chave da canção, cantada de forma acelerada e acompanhada pelos backing vocals ótimos nos fazem pensar quem realmente dá as cartas nesse mundo: homens - o famoso homo sapiens, supostamente coerente em seu raciocínio - ou animais impulsivos e irracionais? Isso é o que resulta na Politicalamidade, uma tragédia que move nações e pessoas inocentes e aqui é cantada num trocadilho sensacional e acompanhada pelos metais do início da música. Refrão instigante. Tão enérgico, te anima a querer mudar. Afinal, de todos os sistemas de governo citados, nenhum de fato é eficiente, afinal qualquer governo que não tem o povo no poder não pode ser um governo de verdade. Somos controlados por uns poucos engravatados, enraízados no poder de tamanha forma que realmente acreditam que mandam no mundo. Por orgulho provocam conflitos. Como diria T.H. White, por algo tão ilusório quanto uma linha de fronteira, iniciam guerras. E como se fosse a coisa mais normal do mundo, enviam soldados jovens pra morte como se fossem brinquedos. Elvis Presley foi uma das vítmas desses feitiches políticos. Outra pessoa que muito admiro, Muhammed Ali, também foi obrigado a servir. Mas, corajoso e teimoso como era, recusou-se a ir pro campo de batalha, alegando em sábias palavras: "Não tenho nada contra os vietnamitas. Se o governo os considera inimigos, eles que vão até lá e lutem". Grande homem, Ali. Sua posição contra o governo lhe custou sua licença de boxe e o direito de exercer sua profissão, mais tarde re-conquistados com ainda mais glórias. É assim que devemos responder à um governo orgulhoso e mais preocupado com poder do que com o povo que o sustenta: dando um gancho de direita como fez Ali. Tal força também está contida nessa música anárquica e Extrema, que pode te inspirar a querer mudar, afinal começa com você ;)

Nunca ouviu?

Dê um tapa na orelha da política agora. Escute:

2 comentários:

Viviane disse...

música fantástica e um texto igualmente fantástico!! e valeu pela lembrança, Fe!! :)

Andarilho disse...

Ooooopa valeu Vi! Eu q agradeço pela indicação e pelo comentário. Beijao!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...