Viaje neste blog

Publicidade

Nação Alienante

29/08/2012

Como uma guitarra e uma bateria podem te fazer despertar

Salve, salve! Comprei hoje o ingresso para o show dos Scorpions a realizar-se em setembro e que em breve receberá uma resenha especial. Por hora fica apenas a comemoração, pois o primeiro show que fui na vida foi justamente dessa banda. Com o texto de hoje, colocarei um pouco do que senti naquele dia, juntamente com uma das canções que mais me fizeram viajar e gostar de Rock. Faz parte do disco "Face the Heat" de 1993. Segue a letra:




Alien Nation
(Meine/Schenker)

In the heat of the violence
The night's exploding everywhere
When hate pulls the trigger
The devil comes to take his share
In the garden of Eden
The time is running out so fast
Into heart of the demon
With no escape our die is cast

In the city of angels
Death is just a moment away
In the city of angels
Your future won't see the light of the day

Beware of the alien nation
Beware of the truth that they seek
They pray for eternal salvation
They pray for your soul to keep

On the eve of destruction
A reign of terror rules the street
When the heads start rolling
The devil comes to let it bleed

In the city of angels
Death is just a moment away
In the city of angels
Your future won't see the light of the day

Walk on past the alien nation
Walk on to the end of your reach
No fear of the alien nation
No fear of the hatred they preach

Don't run, there's no place to hide
Today or tomorrow it will get you
Don't move, the knife is right at your throat
And whatever you do, there's no way out
When the shroud comes down on this place
To bury us all alive
We'll know the time has come, to face the heat

Beware of the alien nation
Beware of the truth that they seek
They pray for eternal salvation
They pray for your soul to keep
Walk on past the alien nation
Walk on to the end of your reach
They pray for eternal damnation
They pray for your soul to keep

Vamos à andança...

Nunca esquecerei o dia em que compareci à primeira edição do evento Live'N'Louder, no ano de 2005. Não por que eu fosse grande fã de Metal, o que aliás não sou. Mas acontece que foi o primeiríssimo show de Rock que fui na vida. Começou ali de fato uma paixão que só tenderia a crescer com o passar dos anos. Agora, 7 anos depois, terei a chance de repetir a experiência, com o show que promete (pela 3ª vez) ser a despedida dos Scorpions, banda que está há nada menos que 47 anos na estrada. É engraçado pensar que, no ano de 2005 eu praticamente desconhecia o universo do Rock. Iniciava na época minha vida adulta e conhecia aos poucos o que o mundo tinha de bom pra oferecer. Scorpions se resumia a Still Loving You e Wind of Change, duas canções lentas, repare. Irônicamente, ao final daquele show eu sabia que minha vida musical não seria a mesma. Foi graças ao Scorpions que mergulhei de cabeça no oceano do Rock and Roll, no qual nunca mais parei de nadar e onde provavelmente eu morrerei afogado, feliz da vida. Nos dias que seguiram aquele evento, eu passei procurando canções do grupo na internet para baixar e escutar com cada vez mais afinco. Alien Nation foi uma das pérolas que encontrei e que, desde então, raras vezes sai do meu player. Foi amor à primeira vista, ao vivo e a cores, quando eles tocaram no palco. Me peguei enfeitiçado por uma pedrada tão diferente do que eu esperava encontrar no show da banda. Alien Nation abre com uma das melhores introduções já gravadas na história da boa música e é, sem dúvida, um dos maiores sons do Hard Rock disponíveis. Um riff poderoso e pesadíssimo de Rudolf Schenker abre a música de forma crua, mas logo é equiparado em poder com a bateria de Herman Rarebell. Os dois parecem duelar como dois trogloditas pra ver quem é o mais pesado e quem captura maior atenção do ouvinte, tamanha as pauladas na bateria e tão densa é a guitarra. O dueto logo se mescla num som único, onde esporadicamente um ou outro se sobressai com harmonia perfeita. Quando a bateria ganha destaque soa como uma metralhadora nos alvejando energia. Klaus Meine também entra com firmeza declamando uma poesia interessante sobre a tal "Alien Nation" do título. Essa expressão significa "Nação estrangeira" ou "Nação alienígena", mas se as palavras forem somadas, ganhamos um trocadilho excelente: "Alienação". E é justamente sobre isso que a canção fala. Com os vocais de Meine viajamos pelas cidades em chamas, assolada pela morte e pelos demônios, de onde as pessoas fogem e rezam para sair vivas. No refrão ele diz: "Cuidado com a nação alienante. Cuidado com a verdade que eles procuram. Eles rezam pela eterna salvação. Eles rezam para guardar suas almas". A alienação está sempre presente. A cada dia tentam nos dominar, nos controlar e nos manter longe de nossas verdades. Mas graças à pedradas como essa na orelha, podemos acordar por alguns minutos e questionar: o que é mais importante para nós? Contra a nação alienante, responda com o mesmo poder que esse riff e essa bateria ;)

Nunca ouviu?

Cuidado com a alienação. Escute:

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...