Sobre o Autor

Minha foto

Sou um homem em constante dualidade. Metade de mim queria ser um astro do Rock. A outra metade um monge budista. O resultado disso foi um blog que mistura John Lennon e Jesus Cristo e um livro chamado Heróis e Anônimos.

Herói do Amor

09/08/2012

Os sonhos de cada dia

Um dos assuntos que mais fascinam o mundo por sua eterna falta de explicação e por seu poder são os sonhos. Nosso subconsciente é um universo à parte onde, como num desenho animado, tudo é possível. A única coisa que nos falta num sonho é o controle. Talvez por isso sejam tão fascinantes. Noite passada tive um sonho do qual fiz questão de anotar e não deixar ser apagado nos 2 minutos seguintes após acordar. A principal razão da apreciação por esse sonho em questão foi sua trilha sonora. Tocou Live, uma canção do disco "V", de 2001. Segue a letra:




Hero Of Love
(Kowalczyk)

I caught a glimpse of heaven last night
to the left of your body
to the right of your mind
lost in a riddle i was helpless to understand
i went to a healer, the healer held my hand
she said all of these things
are written in the sand behind me

oh, i dream about you every night
i call your name
the whole world thinks that i am insane
here i come again, yeah

i caught a glimpse of heaven last night
through a crack in the mirror
that fractalized the light
a saint is a sinner, a sinner is a saint
it's all just the cloaks we hide behind
a cartoon in the brain

and i say, all of these things
are written in the sand behind me

oh, i dream about you every night
i call your name
the whole world thinks that i am insane
here i come again
oh, playin the hero of love
takin' you higher
i wanna be your hero of love
is it gettin' better?
is it gettin' brighter?
i wanna be your hero
your hero of love

i caught a glimpse of heaven last night
was that a number 96 or was it a 69?
oh, i was lost in a riddle
i was helpless to understand
i went to a lover
this lover held my hand
she said all of these things
are just written in the sand behind me

Vamos à andança...

Em uma cena marcante do filme "Matrix", o mestre Morpheus faz uma reflexão impactante e ao mesmo tempo perturbadora: "O que é real? Se você considera real aquilo que você pode tocar, cheirar, sentir, você está falando apenas de impulsos elétricos que o seu cérebro recebe". Com essa correta constatação, o grande Morpheus quer dizer o seguinte: um sonho é tão real quanto a vida fora dele. Já reparou que num sonho você vê cores, sente cheiros, ouve músicas. A única diferença de verdade entre um sonho e a realidade, como ensina o filme "A Origem" é que você sabe quando está acordado, mas não quando está sonhando. Há quem possa comentar sobre sonhos lúcidos, onde o sonhador toma consciencia de seu sonho e é capaz de controlá-lo com uma liberdade para criar cores, colagens, sons e tudo o que imaginar. Meu sonho é ter um sonho do tipo, pra que eu possa voar como um pássaro. Enquanto esse nível de evolução mental não chega, me contento - e muito - com um sonho onde eu e alguns amigos escutávamos o disco "V" do Live. O mais curioso é que no sonho eu não conseguia lembrar de uma canção que gostaria de ouvir. Nisso, um dos colegas sugeriu que eu olhasse o computador para ler os nomes das canções e tentar lembrar da dita cuja. Quando cheguei ao monitor, vi todas as canções do disco ali escritas e lembrei que a música que queria ouvir era Hero of Love. Botamos na agulha imediatamente e curti qual sonzeira como nunca no mundo desperto. Não entendi se a lembrança já existia na minha mente ou se foi acionada pelo subconsciente, mas sei que Sandman me agraciou com uma boa trilha sonora (ele já fez isso antes com Burning Up do Eagle-Eye Cherry). Ironicamente a canção de hoje também fala sobre sonho, ainda que numa forma mais romântica. Ed Kowalczyk canta com sua voz suave num ritmo delirante conduzido pela bateria ótima de Chad Gracey e pela guitarra em segundo plano, mas igualmente viajante, de Chad Taylor. O refrão é assim: "Oh, eu sonho com você todas as noites, garota. Eu chamo seu nome. O mundo inteiro acha que sou louco, aqui vou eu novamente". O balanço desse trecho é de um ritmo excelente, numa virada ótima do grupo. Essa obra carrega um raro equilibrio entre lentidão e peso, resultando numa canção romântica e ao mesmo tempo poderosa que conta a história de um narrador apaixonado. O mundo o acha louco por seu amor gritante pela pessoa em questão, mas só ele entende e tem certeza do que quer. Ele quer ser um Herói do Amor. Como ele mesmo diz: "Quero mover montanhas", força que só o amor, segundo o ditado, pode prover. Outra frase interessante é a que abre a música: "Tive um vislumbre do paraíso", outro momento de elucidação que só o amor ou os sonhos podem propôr. Misturando os dois então, não há limites ;)

Nunca ouviu?

Espero que você sonhe com essa também. Escute:

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...