Leia também!

Seja agressivo

19/08/2012

O uso da violência para seu próprio bem

Recentemente revi um dos meus filmes preferidos - talvez o mais preferido - entitulado "Clube da Luta". Outro dia comprei um CD do Faith No More e, por casualidade do destino, havia nele uma música que tem tudo a ver com o filme em questão que eu havia acabado de ver. Fazendo um paralelo entre os dois colocarei aqui um pouco da filosofia violenta, porém positiva que há nesse filme. A música do Faith No More faz parte do disco "Angel Dust" de 1992. Segue a letra:




Be Aggressive
(Bottum)

I started this
It's all for me
What's yours is mine and mine is mine
That's plain to see
So give it up
I've got to have

I SWALLOW, I SWALLOW, I SWALLOW, I SWALLOW

Be aggressive
B-e aggressive
B-e a-g-g-r-e-s-s-i-v-e

What someone else
Would leave behind
And spit it out, let go to waste
I claim is mine
You're my flavor of the week

I SWALLOW, I SWALLOW, I SWALLOW, I SWALLOW

Tall and reckless
Ugly seed
Reach down my throat
You filthy bird
That's all I need
This empty pit
I've got to feed
To prove I'm fit
A healthy man I've got to be
Malnutrition, my submission
You're the master
And I take it on my knees
Ejaculation
Tribulation

I SWALLOW, I SWALLOW, I SWALLOW, I SWALLOW

Be aggressive
B-e aggressive
B-e a-g-g-r-e-s-s-i-v-e

Go, fight, go, fight, go, fight, win

Vamos à andança...


Infelizmente esse texto não entrará na seção #Soundtrack, pois essa canção não faz parte do filme. Bem que poderia, pois traz nela muito do sentimento despertado com o longa. Essa obra cinematográfica foi dirigida por David Fincher e lançada em 1999. Baseada no excelente livro homônimo de Chuck Palahniuk, o filme conta a história de dois personagens que decidem abrir o chamado Clube da Luta, onde os integrantes - todos homens - se degladiam de acordo com algumas regras. O Clube e a violência, entretanto, são metáforas para um processo de despertar interior. Esse despertar pode ser interpretado como espiritual ou, mais diretamente, real. De acordo com a frase do lendário personagem Tyler Durden: "Você tem um emprego que você não suporta para comprar coisas que você não precisa para impressionar pessoas de quem você não gosta". É a mais pura verdade. Toda a história do filme é uma estilosa e bem-feita crítica ao mundo capitalista e consumista em que vivemos. Para se libertar, a violência se faz necessária. Pois só quando estamos no fundo do poço é que estamos livres para fazer qualquer coisa. De acordo com o narrador do filme: "Onde não havia mais esperança, descobri a felicidade". Essa canção do Faith No More traz todo esse sentimento de caos e o movimento necessário para essa revolução interior. A obra abre com um teclado macabro do compositor Roddy Bottum. Logo após a misteriosa introdução, temos uma aquecida na bateria de Mike Bordin. O teclado então assume outra distorção, agora mais roqueira, num ritmo animado. Mike Patton começa a cantar justamente como um comandante cheio de loucura e revolta: "Eu comecei, é tudo meu. O que é seu é meu e o que é meu é meu. Pois dá pra ver, então desista, porque eu quero!" Aqui ele emenda gritos repetitivos excelentes: "I swallow! I swallow! I swallow!" ("Eu engulo, eu engulo!"). Após esse trecho, garotas igualmente empolgadas fazem um coro cantando o lema do momento: "Seja agressivo". Elas cantam a frase inteira, depois desmembram as palavras em suas sílabas e letras, como que para tornar a lição ainda mais clara e literal. Seja agressivo. Entre na luta com você mesmo e vença. Ao final, Mike Durden, ou Tyler Patton - já não sei mais quem é quem - grita: "Vá, lute! Vá, lute! Vença!" Use toda essa energia para se libertar. Todos nós temos um lado obscuro. Um lado preguiçoso, acomodado, satisfeito em ter menos do que merecemos. É esse o seu maior adversário. Contra ele você pode usar a violência. Lute consigo mesmo e vença. Não se dê por satisfeito com um emprego ruim, com uma relação improdutiva, com uma vida vazia. Não tenha medo de arriscar ou de perder algo. Pois, repetindo, só quando perdemos alguma coisa é que nos movemos para conseguir algo ainda maior. Liberte-se e aprenda a querer apenas o melhor pra você. Nesse momento, a melhor ferramenta que você tem é a violência. Contra o seu lado medíocre, seja agressivo ;)

"Somente quando perdemos tudo é que estamos livres para fazer qualquer coisa"
Chuck Palahniuk


Nunca ouviu?

Liberte-se pela violência contra si mesmo. Escute:

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...