Leia também!

Sinos do Inferno

14/07/2012

13 de Julho, o Dia Mundial do Rock

Ontem foi o Dia Mundial do Rock e esse nosso blog de viagens musicais não poderia deixar de homenagear qual gênero musical tão amado e responsável por tantas inpirações e movimentos históricos. Quando pensei em qual banda falar nessa data tão especial, minha mente respondeu sua própria pergunta numa fração de segundo com quatro letras maiúsculas: AC/DC. Verdade ou boato, essa é uma das - senão a - banda mais Rock N Roll da história. Impossível falar de Rock sem citar o grupo australiano dos irmãos Young, responsável por tantos hinos de louvor ao Rock. AC/DC é sinônimo de amor ao Rock, por isso trago hoje essa canção que abre o lendário disco "Back in Black" de 1980. Segue a letra:




Hells Bells
(Young/Young/Johnson)

I'm rolling thunder, pouring rain
I'm coming on like a hurricane
My lightning's flashing across the sky
You're only young but you're gonna die
I won't take no prisoners won't spare no lives
Nobody's putting up a fight
I got my bell I'm gonna take you to hell
I'm gonna get ya, satan get ya

Hells bells
Hells bells, you got me ringing
Hells bells, my temperature's high
Hells bells

I'll give you black sensations up and down your spine
If you're into evil, you're a friend of mine
See the white light flashing as I split the night
Cos if good's on the left then I'm sticking to the right
I won't take no prisoners won't spare no lives
Nobody's puttin' up a fight
I got my bell I'm gonna take you to hell
I'm gonna get ya satan get ya

Hells bells
Hells bells, you got me ringing
Hells bells, my temperature's high
Hells bells

Hells bells, satan's coming to you
Hells bells, he's ringing them now
Those hells bells, the temperature's high
Hells bells, across the sky
Hells bells, they're taking you down
Hells bells, they're dragging you down
Hells bells, gonna split the night
Hells bells, there's no way to fight
Hells bells

Vamos à andança...


"Rock N Roll não é poluição sonora", "Não podemos parar o Rock N Roll", "Àqueles prester à tocar Rock (nós te saudamos)", "É uma longa caminhada até o topo se você quer Rock N Roll", "Deixe ser Rock", "Sonho de Rock N Roll" e "O Trem do Rock N Roll" são apenas alguns títulos traduzidos da banda AC/DC sobre tal gênero musical. Declaração maior de amor ao Rock não existe além das mãos desse quinteto australiano - fato que me fez escolhe-los para ilustrar e viajar sobre o Dia Mundial do Rock. Mas com tantos títulos que falam abertamente sobre o gênero, por quê escolher uma outra canção como Hells Bells? A resposta está numa pessoa comum que encontrei há alguns anos atrás, mais uma das lições que aprendemos no dia a dia. Certa vez eu e meu primo fomos na Galeria do Rock, onde cada um adquiriu um CD novo por menos de 20 reais. Após a compra, optamos por tomar uma cerveja em um boteco próximo do metrô, pois já era tarde da noite de um dia de semana qualquer. Quando sentei pra abrir meu "The Cult (1994)" ouvi um bem-vindo comentário do Garçom do boteco. "Pra quem curte The Cult deve ser complicado ouvir um som desses", disse ele, fazendo alusão ao som ambiente - uma mistura de tecnobrega com forrónejo universitário. Logo eu e meu primo percebemos que estávamos diante de um dos muitos Mestres da Vida. Um homem tranquilo que vivia sua vida como Garçom de um boteco velho no centro de São Paulo, labutando com simplicidade e felicidade enquanto servia cervejas e porções oleosas aos diferentes transeuntes. Mesmo fadado a escutar músicas desagradáveis à seu gosto o dia inteiro - ainda assim o Garçom conservava em seu interior o infinito amor ao Rock N Roll. Passamos boas horas daquela noite conversando com aquele Mestre. Dono de um bom gosto notável ele era apreciador de Deep Purple, Rush, Led Zeppelin, Jimi Hendrix, dentre tantas outras bandas. Quando o papo chegou ao AC/DC, o Garçom soltou uma frase direta e reta que não esquecerei: "Hells Bells é a melhor música do AC/DC". Na hora soube que ele estava certo. Ainda que não seja a minha canção favorita do grupo, reconheço na abertura do disco "Back in Black" um poder oculto e inigualável, do qual não sou digno de apreciar por inteiro ainda. Talvez quando eu chegar ao nível do Garçom eu entenda por completo. Mas por hora faço uma pequena e limitada viagem sobre tão incrível canção, mais como uma homenagem ao Mestre Garçom e sua sabedoria plena e ao Rock em geral. Quando inicia-se Hells Bells você sabe que esta diante de algo grande. Há um sino tocando lenta e sinistramente. É a mesma introdução excelente que abre o disco do John Lennon, "Plastic Ono Band" (1970). O ritmo repetitivo do sino cria, como no caso de Lennon, um clima melancólico e soturno. Algo que prepara o suspense. Diferente do caso do ex-Beatle, porém, aqui o sino anuncia uma canção enérgica e destruidora. Logo um riff de Angus Young se mistura ao sino, dando início à uma viagem pelo universo do Rock, passando por cenas de multidões ensandecidas com as pancadas de Cliff Burton, colagens de momentos únicos entre amigos conduzidos pela voz ótima de Brian Johnson e, como não poderia deixar de ser, chegando ao inferno, montado num solo enfurecido de Angus, sobressaíndo à base da guitarra pesada de seu irmão, Malcolm Young. O inferno, segundo a mitologia religiosa, seria o local onde estariam os malvados e pecadores, sofrendo eterna punição por seus erros cometidos em vida. Traçando um paralelo com o Rock, podemos concluir que o inferno estaria infestado de músicos e ouvintes do gênero, conduzidos pela música à atos de transgressividade como beber, usar drogas, gritar, fazer amor e falar palavrões. Entretanto é de se convir que o maior legado do Rock está longe de ser as mazelas que assolam a humanidade. Ouvintes desse tipo de música sabem que, por trás de letras agressivas, baterias pesadas e guitarras distrocidas, está, antes de tudo, o amor à vida e ao momento. Permeados nos versos do Rock encontram-se lemas de liberdade e felicidade, com os quais os roqueiros norteiam suas vidas. Há muito mais por trás das drogas, bebidas e sexo. Há ali, subliminado no Rock, um sentimento capaz de fazer um homem se tornar melhor do que ele é, como um Garçom roqueiro que dá o seu melhor num bar que toca axé, mas ainda acha tempo e humor pra ensinar jovens sobre suas bandas preferidas e seus sonhos musicais de infância ;)

À todos os roqueiros
À todos os amigos
Ao Garçom
Ao Rock N Roll


Muito obrigado.

Nunca ouviu?

Prepare-se para os sinos do inferno. Escute:

2 comentários:

Jun disse...

Aloha Player

Escolheu uma música que representa bem o rock e a nossa galera, já que quase todos curtem essa banda, e essa banda me lembra muitos momentos juntos, cantando no carro, indo viaja ou indo simplesmente para um bar curtir a vida
Cara você falou desse garçom, fiquei curioso e quero conhecer esse cara, vamo um dia nesse mesmo bar?
Viva o Rock!
abrasssssssssssssssss

PS o blog continua sensacional!

Andarilho disse...

E aiiiii mestre Jun! Obrigado pela visita e comentário. Realmente ACDC lembra nossa galera, só bons momentos! Temos que ir nesse boteco sim, eu já voltei lá umas 2 vezes com o Renato e o garçom estava la, gente fina demais... Vamo la um dia trocar uma ideia com o MEstre, hahahahha.. Abraço!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...