Mais um livro do Andarilho

Eu voltarei

19/05/2012

A Mais Bela Canção dos Beatles

Certa vez eu conversava com meu amigo e Mestre Cassio sobre Beatles até que perguntei a ele: "O que você acha de I'll be Back?". Ele respondeu sem hesitar: "Essa é, na minha opinião, a música mais bonita dos Beatles". Pensei rapidamente sobre a questão, repassando em minha mente outras obras-primas do quarteto até que conclui que, como sempre, ele tinha razão. Explico mais abaixo. A canção é do disco "A Hard Day's Night" de 1964. Segue a letra:




I'll be Back
(Lennon/McCartney)

You know if you break my heart,
I'll go but I'll be back again,
'Cause I told you once before good-bye,
but I came back again

I love you so - oh,
I'm the one who wants you oh, oh.
Yes, I'm the one who wants you oh, oh, oh, oh

You could find better things to do,
than to break my heart again,
This time I will try to show that
I'm not trying to pretend

I thought that you would realize,
That if I ran away from you,
That you would want me too,
But I've got a big surprise oh, oh.

Oh, you could find better things to do
Than to break my heart again,
This time I will try to show that
I'm not trying to pretend

I wanna go, but I hate to leave you,
You know, I hate to leave you oh, oh, oh, oh.
Oh, you if you break my heart, I'll go,
But I'll be back again.

Vamos à andança...

Quando pensei em I'll be Back como a Mais Bela Canção dos Beatles, confesso que fiz uma rápida comparação da mesma com outras grandes obras-primas dos FabFour. Diante da reflexão plena sobre a vida de In My Life, o choro delicado de While My Guitar Gently Weeps ou a dor de McCartney em You Won't See Me, parecia improvável que uma singela canção Lado B posicionada em último lugar no disco "A Hard Day's Night" poderia ser considerada a maior beleza de um grupo musical cujo repertório é imenso e maravilhoso. Mas o fato é que I'll be Back realmente possui uma graça única e incomparável. Como as melhores canções dos Beatles, sua simplicidade é o que dá ainda maior corpo à sua beleza. Ela é curta, suave e emocionante. Traz um pé na influência country que dominava o grupo naqueles anos, iniciando com um violão bonito e triste que nos acompanhará até o final. Com ele, John Lennon começa rapidamente sua maravilhosa poesia acompanhado por Paul Mc Cartney nos backing vocals: "Você sabe que se você quebrar meu coração novamente eu irei embora, mas eu voltarei. Pois eu te disse adeus uma vez, mas eu voltei aqui de novo". Aqui há uma pequena virada, destacando a voz de Lennon agora aguda e audivelmente dolorida: "Eu te amo tanto... Eu sou aquele que te quer. Sim, eu sou aquele que te quer, oh oh oh.. oh oh oh... Você poderia encontrar coisas melhores pra fazer do que quebrar meu coração mais uma vez. E agora eu vou tentar mostrar que não estou fingindo". Agora, em mais uma virada impecável com a precisão afiada da bateria que só Ringo Starr pode propôr, Lennon acelera com os versos: "Eu achei que você perceberia, que se eu fugisse de você, você iria me querer também, mas eu tive uma grande surpresa... oh oh oh" Além do "Iiiiii" ("Eu") lindo que John solta, é sensacional também os jogos de vocais com os "oh oh oh... oh oh oh". São os Beatles expressando muito até quando não usam palavras. E com essa simples poesia, uma instrumentação impecável, porém igualmente singela, eles realmente dizem muito. O amor é um dos sentimentos mais complexos que existe. Ao mesmo tempo é simples. Certamente é o mais forte deles. Não há como explicar nem quantificar o amor. É possível apenas senti-lo. Não há como entender a força do amor que sente esse narrador encarnado por John Lennon. Uma vez já tendo seu coração quebrado, mesmo assim ele volta pra ela, correndo o risco de ser ferido novamente. Por quê? Impossível explicar. Mas verdadeiramente muito bonito de ver. Talvez seu amor por ela seja maior do que qualquer dor, qualquer sofrimento, ou qualquer detalhe mundano menor. Seu amor está acima do mundo e o que importa é o que ele sente. Seu amor é tão transcedental e platônico que ele insite em afirmar, provavelmente com um sorriso no rosto: "Se você quebrar meu coração eu vou embora, mas eu voltarei". Nada pode pará-lo. É o tipo de amor que fez Johnny Cash insistir tanto em sua amada June Carter. No caso de Cash, mesmo ferido deu certo. Em I'll be Back é ainda mais angustiante e tocante, pois não temos o fim da história. Temos apenas a certeza que nosso herói não desistirá dela. Jamais. Isso é o Verdadeiro Amor - ou o Grande Amor como diria Mr. Big. E é por conseguir expressão tão incomensurável e inexprimível sentimento que I'll Be Back é sim A Mais Bela Canção dos Beatles ;)

Nunca ouviu?

Volte aqui e ouça. Escute:

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...