Leia também!

Faria?

14/04/2012

Dores e angústias que moldaram um gênero

No último dia 5 de abril, completaram-se 10 anos da morte de Layne Staley, vocalista da icônica banda Alice in Chains. Por mais uma coincidência do destino, eu andava ouvindo bastante esse grupo de Seattle quando descobri sobre a data. Nada mais que um sinal para traze-los pro nosso querido blog, visto que, por única culpa da limitação deste que vos escreve, a banda ainda não fazia parte do Panteão dos Deuses Viajantes do Rock. Essa faz parte do sensacional disco "Dirt", de 1992. Segue a letra:




Would?
(Staley)

Know me broken by my master
Teach thee on child of love hereafter

Into the flood again
Same old trip it was back then
So I made a big mistake
Try to see it once my way

Drifting body it's sole desertion
Flying not yet quite the notion

Into the flood again
Same old trip it was back then
So I made a big mistake
Try to see it once my way

Into the flood again
Same old trip it was back then
So I made a big mistake
Try to see it once my way

Am I wrong?
Have I run too far to get home
Have I gone?
And left you here alone

If I would, could you?

Vamos à andança...

Uma vez um amigo e mestre me disse: "Não sei o que define sonoramente o Grunge". Se nem ele que era mestre poderia dizer, quem sou eu? Sua constatação auto-ignorante nada mais é do que a pura verdade. Pense um pouco: qual a semelhança sonora entre Pearl Jam e Soundgarden? E entre Screaming Trees e Nirvana? Se você descobrir algo além de que ambas são compostas por guitarras e baterias, por favor me diga. Realmente não sei o que diferenciou o gênero e deu tanto gás ao Rock And Roll nos anos 90. Pensando muito a fundo e abrindo todas as gavetas do HD Cerebral, consigo distinguir apenas um tom sombrio nas obras dessas bandas. Enquanto o Hard Rock oitentista em geral carregava uma energia positiva e revigorante com temas sobre amores bem e mal resolvidos, o grunge põe pra fora um sentimento visceral que queria dizer, com letras e arranjos sobre os mais profundos e problemáticos lados da mente dos jovens daquela época. Nesse ponto, Alice in Chains realmente foi fundo, com o vocalista Layne Staley expondo primorosamente nas letras do grupo as suas maiores dores e complicações, sentimentos obviamente potencializado pelo seu vício em heroína. Em Would? esse clima soturno é reforçado pelo baixo poderoso de Mike Starr e pela bateria de Sean Kinney. Só por si próprios esses dois instrumentos já causam uma viagem absoluta, mas ainda temos um riff suave do compositor Jerry Cantrell que logo se torna essêncial. Ele comanda também uma aceleração que dá um poder a mais nas viradas da canção. Staley canta com sua voz rouca e despretensiosa, porém lendária: "Levado pela correnteza novamente, a mesma velha viagem de antigamente. Então cometi um grande erro. Tente ver do meu ponto de vista uma única vez". O refrão é forte. Do tipo de que fica na memória por longos dias. Assim como a obra de Alice in Chains, esse refrão permanecerá ecoando em sua mente, como um grito desesperado e ao mesmo tempo tão inspirador ;)

Nunca ouviu?

Se você pudesse, faria? Escute:

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...