Viaje neste blog

Publicidade

Herói da Classe Trabalhadora

28/03/2012

Um triste, porém belo, relato do mundo em que vivemos

Os dias passam e é impressionante como John Lennon ainda consegue me surpreender. A última viagem elucidativa que o ex-Beatle me proporcionou foi com um de seus hinos de carreira solo, que o deu o título de "Herói da Classe Trabalhadora". Faz parte do primeiro disco solo de Lennon, "Plastic Ono Band", de 1970. Segue a letra:




Working Class Hero
(Lennon)

As soon as you're born they make you feel small
By giving you no time instead of it all
Till the pain is so big you feel nothing at all
A working class hero is something to be
A working class hero is something to be

They hurt you at home and they hit you at school
They hate you if you're clever and they despise a fool
Till you're so fucking crazy you can't follow their rules
A working class hero is something to be
A working class hero is something to be

When they've tortured and scared you for twenty odd years
Then they expect you to pick a career
When you can't really function you're so full of fear
A working class hero is something to be
A working class hero is something to be

Keep you doped with religion and sex and TV
And you think you're so clever and classless and free
But you're still fucking peasants as far as I can see
A working class hero is something to be
A working class hero is something to be

There's room at the top they are telling you still
But first you must learn how to smile as you kill
If you want to be like the folks on the hill
A working class hero is something to be
A working class hero is something to be

If you want to be a hero well just follow me
If you want to be a hero well just follow me

Vamos à andança...

John Lennon nunca precisou bater um cartão pra entender como o mundo adulto e capitalista é terrível. Ele era um gênio, afinal. Aprendia com os erros dos outros. Observava e se tornava mais inteligente. Somando isso às suas próprias experiências de vida, ele cria em Working Class Hero um triste, porém verdadeiro panorama do nosso mundo atual. Prepare-se para as verdades nua e cruas, costumeiras desse ex-Beatle. A balada é levada unicamente por um violão tenso, acompanhando a voz espetacular do cantor. É Lennon e ele mesmo, num de seus momentos mais marcantes e emocionantes, narrando sem dó sua frustração pelo que viu ao longo de seus curtos quarenta anos. Ele começa: "Desde que você nasce, eles te fazem se sentir pequeno te dando coisa alguma, nem mesmo tempo. Até que a dor é tão grande que você não sente mais nada". Nisso entra a frase lendária, refrão dessa nossa canção: "Um herói da classe operária é algo para ser". Deixando no ar por enquanto essa oração que se repetirá após cada estrofe, ele prossegue: "Eles te machucam em casa e te batem na escola. Eles odeiam se você é inteligente e te desprezam se é um tolo. Até que você fica tão louco que não pode mais seguir as regras deles". Com o violão magistral sempre tenso e viajante, ele prossegue ainda mais dolorido, despejando sua crítica agora ao sistema de ensino: "Depois de te torturarem por 20 anos, eles esperam que você escolha uma carreira, mas você já está tão cheio de medo que não consegue mais funcionar". Mais a frente, o alvo se torna a mídia e a religião: "Eles te mantem dopado com religião, sexo e TV. E você acredita que ainda é inteligente, sem classe e livre. Mas você ainda é um plebeu fodido pelo que eu posso ver". Obviamente sobra espaço até para sua antiga banda, representando a industria pop em geral: "Há um lugar no topo, eles sempre dizem. Mas primeiro é preciso aprender a sorrir enquanto mata, se você quiser ser como os amigos da colina (referência à Fool on The Hill, dos Beatles). Após essa pesada frase, finalmente vem a catarse: "Se você quiser ser um herói, bem, apenas me siga". John Lennon não só encerra assim sua obra fantástica, mas também convida os ouvintes, seus fãs, a o apioarem em sua luta. Seu protesto não é pequeno. Lennon e Yoko Ono, afinal, sempre serão lembrados como o casal mais ativista do mundo do Rock. E nessa tentativa de acordar a classe trabalhadora, Lennon deixa no ar algumas questões interessantes. Pense a respeito: você é satisfeito com seu trabalho, educação e política? Sua vida em geral é cômoda ou é sofrida? Seu salário é suficiente pelo trabalho que você realiza? Os sistemas que moldaram pra você são corretos? Bem, como seguidor do Verdadeiro Herói da Classe Trabalhadora, posso deixar aqui um simples conselho baseado em minha curta e limitada experiência de vida: trabalhe duro para sua empresa, mas trabalhe o dobro por você mesmo. Quando enfrentar os leões diários não pense em sobreviver por mais um mês, mas em construir algo em um ano. O mundo dos homens, como Lennon constata acima, é triste, mas já que temos que entrar nessa dança, que guardemos o melhor para nós mesmos ;)

Nunca ouviu?

Siga o herói da classe trabalhadora agora. Escute:

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...