Leia também!

Palhaços de Rodeio

22/02/2012

Eles dois me levantam quando estou chateado

Engraçado como há diferentes versões de uma mesma música gravadas pelo mesmo artista, mas que misteriosamente soam cada uma com vida própria e suas próprias peculiaridades se tornam inesquecíveis, sobretudo quando estamos falando de uma versão ao vivo. É o caso dessa obra do Brother Jack Johnson, presente no disco estupendo "On And On" de 2003 e que aparece com uma versão sensacional ao vivo no EP "Some Live Songs" com participação dos amigos G. Love e Donavon Frankenreiter, de 2005. Uma versão bastante próxima dessa ao vivo foi realizada aqui no Brasil no show do surfista ano passado. Segue a letra:




Rodeo Clowns
(Johnson)

Sweeping the floors, open up the doors
Turn on the lights, getting ready for the night
Nobody's romancing, 'cause its too early for dancing
But here comes the music

Bright lights flashing to cover up your lack of soul
Many people, so many problems, so many reasons
To buy another round, drink it down
Just another night on the town
With the big man, money man, better than the other man
He got the plan with the million dollar give a damn
When nobody understands, become a smaller man
The bright lights keep flashing, the women keep on dancing
With the clowns, they pick me up when I'm down
The rodeo clowns, they pick me up when I'm down

The disco ball's spinning, all the music and the women and
The shots of tequila, man they say that they need ya
What they really need, is just a little room to breath
Teeny bopping disco queen, she barely understands
Her dreams of belly button rings and other kinds of things
Symbolic of change but the thing that is strange
Is that the changes occur, and now she's just a part of the herd
Man I thought that you heard, the changes occurred
Just a part of the herd

Lights out, shut down, late night, wet ground
You walk by look at him, but he can't look at you
You might feel pity but he only feels the ground
You understand moves but he only knows let down
By the corner there's another one
Reaching out a hand, coming from a broken man
He tried to live but he's done trying
Not dead, but definitely dying
With the rest of the clowns

Sweeping the floors, open up the doors
Turn on the lights, getting ready for the night
Nobody's romancing, 'cause its too early for dancing
But here comes the music

Vamos à andança...

Conheço muitos amigos que não gostam de versões ao vivo, pois acreditam que as músicas muitas vezes perdem sua essência quando realizadas num show, sobretudo se há muito barulho do público ou modificações na estrutura da canção. Em contrapartida, outros amigos chegam a preferir as canções ao vivo alegando que não há comparação entre uma música produzida em estúdio e uma obra realizada ao vivo e a cores na emoção e no calor do palco. Concordo com ambos. Há casos e casos. Rodeo Clowns se encaixa no segundo. Como grande fã do Mestre Jack Johnson, logo me apaixonei pela versão da canção tocada no EP "Some Live Songs". Com a participação do outro brother, G. Love, a música ganhou uma vivacidade maior. Perde parte da melancolia da versão de estúdio, em troca de uma acelerada e todo um gingado novo. Mais malandros, os músicos cantam em uníssono a maioria dos versos, numa amistosa competição na qual quem ganha é só o público. Eles também se alternam em algumas estrofes com entrosamento que só bons amigos conseguem propôr. Para os que poderiam torcer o nariz pelo grande destaque que leva G. Love na música (observe os aplausos no vídeo quando o rapaz começa a cantar), fica o lembrete de que foi ele própio quem apadrinhou o Jack Johnson. Isso mesmo. Embora muito mais famoso e produtivo, Johnson deve muito ao seu amigo com o qual visivelmente adora dividir o palco. Tive a sorte de conferir a dupla no Festival Natura Nós, em 2011. Como que lendo meu pensamento e sabendo do meu apreço por Rodeo Clowns versão ao vivo, Johnson chamou seu cumparsa para tocá-la com a mesma vivacidade de outrora. Quase chorei. Mas o detalhe que de fato quase fez uma lágrima teimosa deixar meu olho esquerdo foi um fator importantíssimo na canção presente somente na versão ao vivo. Um assobio. É isso aí. Um simples assobio. Na verdade não tão simples, pois o mesmo faz toda diferença na música. No ápice da batalha dos irmãos, quando os violões trazem uma virada excelente e a canção evolui com as cordas cada vez mais emaranhadas, Jack Johnson se posiciona nos microfones para assobiar. O música assobia com maestria o mesmo riff que inicia a canção e que cria a virada na obra. É emocionante. Eu que sou um péssimo assobiador, sinto calafrios só de pensar em assobiar um trecho tão maravilhoso ao vivo. Várias vezes sou pego tentando assobiar uma melodia e simplesmente o som não sai. E se não saísse ao vivo? Assobiando em seu show, Jack Johnson prova que seu trabalho diante da multidão é honesto e único. Não há versão igual em nenhum disco. Logo após esse trecho avassalador, a dupla encaixa mais um refrão que diz: "Com os palhaçoes de rodeio. Eles me levantam quando estou chateado". Já eu, um mero andarilho, quando chateado me lembro de G. Love, Jack Johnson e seu assobio único. Eles me levantam também ;)

Nunca ouviu?

Tão sensacional são ambas as versões (de estúdio e ao vivo) que coloco aqui as duas. Escute:

Do disco "On and On", de 2003.



De algum show realizado em 2005.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...