Leia também!

[SOUNDTRACK] Hurricane - O Furacão

02/01/2012

Uma das maiores histórias reais que já existiu

Faz tempo que quero comentar sobre essa obra-prima da arte. Com o Ano Novo sinto que chegou a hora. Demorei pela complexidade do texto que seria necessário para descrever essa tão perfeita combinação entre música e cinema. Nem mesmo minha conhecida aversão pelo Bob Dylan me deixa tirar sequer 1% de todo o mérito dessa obra que ele escreveu em 1966 e que 33 anos mais tarde fez parte de um filme igualmente histórico. O filme tem o mesmo nome da canção: "Hurricane" e em português recebeu o subtítulo: "O Furacão", tradução literal do codinome do personagem principal, interpretado por ninguém menos que Denzel Washington. Segue a letra:




Hurricane
(Bob Dylan)

Hurricane
Pistol shots ring out in the ballroom night
Enter Patty Valentine from the upper hall.
She sees the bartender in a pool of blood,
Cries out, "My God, they've killed them all!"
Here comes the story of the Hurricane,
The man the authorities came to blame
For somethin' that he never done.
Put in a prison cell, but one time he could-a been
The champion of the world.

Three bodies lyin' there does Patty see
And another man named Bello, movin' around mysteriously.
"I didn't do it," he says, and he throws up his hands
"I was only robbin' the register, I hope you understand.
I saw them leavin'," he says, and he stops
"One of us had better call up the cops."
And so Patty calls the cops
And they arrive on the scene with their red lights flashin'
In the hot New Jersey night.

Meanwhile, far away in another part of town
Rubin Carter and a couple of friends are drivin' around.
Number one contender for the middleweight crown
Had no idea what kinda shit was about to go down
When a cop pulled him over to the side of the road
Just like the time before and the time before that.
In Paterson that's just the way things go.
If you're black you might as well not show up on the street
'Less you wanna draw the heat.

Alfred Bello had a partner and he had a rap for the cops.
Him and Arthur Dexter Bradley were just out prowlin' around
He said, "I saw two men runnin' out, they looked likemiddleweights
They jumped into a white car with out-of-state plates."
And Miss Patty Valentine just nodded her head.
Cop said, "Wait a minute, boys, this one's not dead"
So they took him to the infirmary
And though this man could hardly see
They told him that he could identify the guilty men.

Four in the mornin' and they haul Rubin in,
Take him to the hospital and they bring him upstairs.
The wounded man looks up through his one dyin' eye
Says, "Wha'd you bring him in here for? He ain't the guy!"
Yes, here's the story of the Hurricane,
The man the authorities came to blame
For somethin' that he never done.
Put in a prison cell, but one time he could-a been
The champion of the world.

Four months later, the ghettos are in flame,
Rubin's in South America, fightin' for his name
While Arthur Dexter Bradley's still in the robbery game
And the cops are puttin' the screws to him, lookin' for somebody to blame.
"Remember that murder that happened in a bar?"
"Remember you said you saw the getaway car?"
"You think you'd like to play ball with the law?"
"Think it might-a been that fighter that you saw runnin' that night?"
"Don't forget that you are white."

Arthur Dexter Bradley said, "I'm really not sure."
Cops said, "A poor boy like you could use a break
We got you for the motel job and we're talkin' to your friend Bello
Now you don't wanta have to go back to jail, be a nice fellow.
You'll be doin' society a favor.
That sonofabitch is brave and gettin' braver.
We want to put his ass in stir
We want to pin this triple murder on him
He ain't no Gentleman Jim."

Rubin could take a man out with just one punch
But he never did like to talk about it all that much.
It's my work, he'd say, and I do it for pay
And when it's over I'd just as soon go on my way
Up to some paradise
Where the trout streams flow and the air is nice
And ride a horse along a trail.
But then they took him to the jail house
Where they try to turn a man into a mouse.

All of Rubin's cards were marked in advance
The trial was a pig-circus, he never had a chance.
The judge made Rubin's witnesses drunkards from the slums
To the white folks who watched he was a revolutionary bum
And to the black folks he was just a crazy nigger.
No one doubted that he pulled the trigger.
And though they could not produce the gun,
The D.A. said he was the one who did the deed
And the all-white jury agreed.

Rubin Carter was falsely tried.
The crime was murder "one," guess who testified?
Bello and Bradley and they both baldly lied
And the newspapers, they all went along for the ride.
How can the life of such a man
Be in the palm of some fool's hand?
To see him obviously framed
Couldn't help but make me feel ashamed to live in a land
Where justice is a game.

Now all the criminals in their coats and their ties
Are free to drink martinis and watch the sun rise
While Rubin sits like Buddha in a ten-foot cell
An innocent man in a living hell.
That's the story of the Hurricane,
But it won't be over till they clear his name
And give him back the time he's done.
Put in a prison cell, but one time he could-a been
The champion of the world.

Vamos à andança...

O filme:


Se existe algo que me chama atenção são filmes baseados em histórias reais. É indescritível ver filmes com histórias tão profundas e, muitas vezes, inacreditáveis, mas que de fato aconteceram nesse mundo que vivemos. A vida é inexorável e maravilhosa. Hurricane é um caso. Talvez dos mais impressionantes. Para resumir a peça, seria ideal traduzir na íntegra a letra do Bob Dylan acima. Caso queira ler uma tradução fiel, clique aqui. Se estiver com preguiça não tem problema - eu resumo. Na década de 60 existiu um boxeador chamado Rubin Carter, apelidado gentilmente de Furacão, tamanha a vivacidade com que enfrentava seus adversários. Rubin era negro e vivia nos Estados Unidos em época do apogeu do racismo. Sofreu com isso desde criança, sendo obrigado a passar boa parte da vida em reformatórios e presídios, tendo como refúgio somente o ódio. Sentimento que levou aos ringues e quase lhe rendeu o título. Oficialmente Carter nunca foi campeão, mas os que viram ele lutar contra Emile Grifth pelo cinturão juram que ele merecia o título. Se a história fosse só até aqui já renderia um bom filme. Mas não é de um bom filme que estamos falando e, sim de um filme inesquecível - de uma lição de vida. Carter foi preso pela terceira vez em 1966 acusado de assassinato num caso cercado de suspeitas e perseguição racial. No período em que esteve preso, Rubin escreveu um livro, que muitos anos depois foi parar nas mãos de um garoto sonhador, chamado Lesra Martin. Os dois então começam a se corresponder e criam uma amizade que trará ainda mais emoção pra vida deles e para a nossa como espectadores. Um dá ao outro justamente aquilo que mais precisam: esperança e amor. Contar mais do que isso comprometeria a experiência do filme, que traz mais - muito mais cenas praticamente inacreditáveis. É assistir e levantar o queixo quando o filme acabar. E limpar as lágriamas, é claro, responsabilizadas principalmente por Denzel Washington impecável no papel principal. Só não levou um Oscar por que o Oscar não é digno dele. A direção de Norman Jewison também é primorosa, sem defeitos e conduz a longa história (2 horas e meia aproximadamente) sem perder a mão e o ritmo um segundo sequer. Um filme simplesmente perfeito.

Soundtrack:


O caso de Rubin Carter foi famoso não só pela sua história marcante, mas também pelos movimentos sociais que envolveu em sua época. Carter teve o apoio público e de diversas personalidades como ninguém menos que o ativista Martin Luther King Jr., o também pugilista Muhammed Ali, e um dos músicos mais respeitados do mundo: Bob Dylan. Todos tentaram de alguma forma apoiar a causa do Furacão. O modo do músico foi fazendo o que ele sabe de melhor: criando uma canção. Quem me conhece sabe que não sou e nunca fui fã do Bob Dylan. Mas sempre o respeitei como um dos melhores letristas da história. Sou fã de suas baladas e fico impressionado com a variedade de bandas que regravaram suas canções, mostrando que sua influência vai muito além do que imaginamos. Ele influenciou até os Beatles, então o poder do cara não é pequeno. Particularmente prefiro as letras do que sua música em si, mas é só minha limitada opinião. O fato é que Hurricane é uma música sem igual. É longa, mas não parece, tão bom é o ritmo da balada. Comprida o bastante para contar toda a história do Furacão nos mais minuciosos detalhes, incluindo nomes e diálogos. Reza a lenda que Dylan foi até processado por Pattie Valentine, uma das testemunhas do polêmico caso que teve seu nome imortalizado na poesia. Dylan deu nome aos bois: disse quem estava envolvido no assassinato, quem criou pistas falsas e acusa a justiça e a polícia de perseguição com o pugilista. O refrão, um dos mais marcantes da história diz: "Essa é a história do Furacão. O homem que as autoridades quiseram culpar por algo que ele nunca fez. Colocaram-no numa cela mas havia um tempo em que ele poderia ser o campeão do mundo". Vale ressaltar que o refrão sempre muda alguns versos, adequando-se ao momento da história, algo que só grandes mentes como Bob Dylan poderiam fazer. A canção inteira é uma história que não se repete, com versos rápidos, acelaradas primorosas e um violão agressivo comandando a levada. Ainda de quebra temos um violino estupendo permeando o refrão. Ouvir tão sensacional canção no filme de Norman Jewison, focalizando um sorridente Denzel Washington no ringue é uma sensação única. Assim como a história real de Rubin "Hurricane" Carter, o Hurricane de Bob Dylan é eterno, único e inspirador ;)

"O ódio me prendeu. Mas é o amor que vai me libertar, Lesra"
(Rubin "Hurricane" Carter)

Nunca ouviu?

Aí vem a história do Furacão. Escute:

Um comentário:

Anônimo disse...

SENSACIONAL POST
SENSACIONAL FILME
SENSACIONAL MÚSICA
SENSACIONA HISTÓRIA
SENSACIONAL REFLEXÃO!

PARABÉNS...

fperazza

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...