Mais um livro do Andarilho

Grande Amor

28/12/2011

Você está pronto para ele?

Uma das coisas mais fascinantes do Universo Curvo do Rock and Roll é observar o combustível que originou diversas canções incríveis. E, sem dúvida nenhuma, a matéria-prima mais inspiradora de canções é o Amor. Beatles que o digam com suas centenas de canções calcadas no tema. Particularmente, fico ainda mais feliz, quando observo o efeito em bandas de Hard Rock. Veja essa pérola do Mr. Big, por exemplo. Faz parte do seu primeiro disco, de 1989. Segue a letra:




Big Love
(Martin)

I swear by love
You got it
All and much more
Than one could ever hope for
'cause i would take a number
Just to wait in line, for a look
And to gimme the high sign

Red lights, green lights
Go for the gold
Something inside, I want you now
I want it all, and more than you know

My mind is twisted and tied up in knots
My heart is achin' from a shot in the dark
I got a feeling what this is all about
I think it's time for the...big love
I'm gettin' ready for the big love

Everytime i think about you
I get a lump in my throat
From the big beat in my heart
I am helpless, hungry for attention
I know...you could see me fall apart

Ready willing and able, give me
The chance to show you-i want it all
More than you know.

Vamos à andança...

A admiração ainda maior pelo amor presentes em canções de Hard Rock é puramente pela oposição ao esteriótipo. Quando olhamos para bandas do gênero, normalmente vemos caras de mau, cabelos desgrenhados, roubas carcomidas e pancadas tão fortes na bateria que, caso fossem endereçadas à cabeça de alguém, deixariam sequelas. Entretanto, com canções como Big Love, percebemos que o amor não tem fronteiras. Mesmo os mais agressivos e durões do rock não resistem à escreverem e emocionarem o mundo por terem, ao menos uma vez, provado do doce e misterioso sabor do amor. Como diriam os Velhas Virgens em uma excelente balada chamada Eu tô Correndo pra Encontrar o Meu Amor: "Os caras acham que só por quê a gente é do Rock, não tem sentimento". Mas o amor atinge a todos e soa bonito não importa em que estilo cantado. Preste atenção em Big Love. Uma doce levada formada por uma base delirante da guitarra do grandioso Paul Gilbert. Billy Sheehan mantém seu baixo em alto volume com dedilhadas firmes para acompanhar o guitarrista. Pat Torpey também merece destaque pelas pancadas firmes e viradas ótimas nas baterias. Mas o destaque primordial da vez está com o vocalista Eric Martin. Além de compositor dessa obra deliciosa, o cantor dilacera nos vocais com um misto da insegurança e entrega apaixonada que a letra pede. Ele diz no refrão: Minha mente está perturbada desatando os nós. Meu coração dói com esse tiro no escuro. Tenho a sensação do que é isso tudo. Acho que está na hora do Grande Amor. Estou pronto para o Grande Amor". Um dos pontos altos são os backings que repetem frases marcantes à todo volume no fundo, como "Shot in the daaaaark!" Não só genial é a sacada da relação entre o nome da canção com o próprio nome da banda, mas também precisa. Há níveis de amor. Amores rápidos, passageiros, intensos e também há o Grande Amor. Aquele que faz o coração acelerar e os olhos brilharem por causa de um simples pensamento ou olhar. É desse que estamos falando, e é esse que movimenta qual bela canção como essa. Big Love é tão boa que pode ser dignamente comparada com I Remember You do Skid Row, lançada no mesmo ano por uma banda de gênero similar. É... Por mais dura e pontiaguda que a pedra do Rock possa ser, o amor ainda é capaz de transformá-la em algo suave e bonito. Ao menos por alguns minutos ;)

Nunca ouviu?

Tenha um vislumbre do Grande Amor. Escute:

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...