Mais um livro do Andarilho

Correntes

13/12/2011

A primeira aparição de um mestre

Estou pra escrever um texto em homenagem ao meu caro George Harrison há algumas semanas. Dia 29 de novembro foi seu aniversário de morte, deixando-nos a exatamente 10 anos sem sua caríssima e luminescente presença. Em comemoração - ainda que atrasada - trago a primeira música oficial que foi cantada em um LP pelo guitarrista nos Beatles, parte do primeiro disco do quarteto, "Please Please Me" de 1963. Segue a letra:




Chains
(Goffin/King)

Chains, my baby's got me locked up in chains
And they ain't the kind
that you can see
Woh, it's chains of love
got a hold on me, yeah
pa-lum-pa-lum-pa-lum-pa

Chains, well I can't break away from there chains
Can't run around
'cause I'm not free
Woh, these chains of love
Won't let me be, yeah

I wanna tell you pretty baby
I think you're fine
I'd like to love you
But, darling, I'm imprisoned by these

Chains, my baby's got me locked up in chains
And they ain't the kind
that you can see
Woh, it's chains of love
got a hold on me, yeah

Please believe me when I tell you
your lips are sweet
I'd like to kiss them
But, I can't break away from all these

Chains, my baby's got me locked up in chains
And the ain't the kind
that you can see
Woh, it's chains of love
got a hold on me, yeah

Chains, chains of love
Chains of love, chains of love

Vamos à andança...

Chains é uma canção cover. Nos primeiros discos dos Beatles era normal haverem um bom punhado delas. Não que isso tire qualquer mérito do grupo, afinal isso era mais do que comum na época. Para George era ainda mais normal, visto que as primeiras canções as quais o guitarrista emprestou a voz, eram compostas por John Lennon e Paul McCartney. O jovem Harrison ainda estava longe de compor suas obras primas como While My Guitar Gently Weeps ou If I Needed Someone - para citar apenas duas. Mas mesmo sem ser o escritor oficial, Harrison nunca decepcionou. Nem na guitarra e tampouco nos vocais. Observe Chains. Do início ao fim temos um coro especialíssimo formado por Lennon e McCartney nos apoios encabeçados por Harrison. Não há pontos baixos. A canção é animada e romântica - ambos sentimentos que borbulham na voz de George. É completamente perceptível sua alegria ao cantar. Como se ele tivesse nascido para a música. Alguem discordaria? Tal alegria é tão boa de ouvir que contagia. Outra canção que se assemelha muito à esse sentimento na voz de George é Don't Ever Change, do disco "Live at BBC". Vale a pena ouvir também. Mas em Chains é mais divertido, pois temos uma letra deveras engraçada. Composta por Gerry Goffin e Caroel King para a banda The Cookies, ela fala, em primeira pessoa, sobre as tais "correntes do amor". Na história o personagem meio que tenta se declarar para uma gartoa, porém não consegue, visto que está "aprisionado" por outra garota - ou melhor, pela sua namorada, é claro. Sinta o tom da brincadeira: "Não posso quebrar essas correntes. Não posso correr por aí, pois não estou livre. Oh, essas correntes de amor não me deixarão ser eu mesmo". Ele continua, gracioso: "Quero te dizer, linda garota, que te acho muito interessante. Eu gostaria de te amar, mas, querida, estou aprisionado por estas correntes". Nisso já emenda-se o ótimo refrão: "Minha garota me trancou nessas correntes". É um balanço sensacional. Revigorante e incansável. Se tem um defeito é que, como a maioria das canções do começo dos Beatles, é curta demais. Dá vontade de ouvir muito mais vezes a bateria tranquila de Ringo Starr, a gaita introdutória de John e, é claro, Harrison rindo, sarcástico enquanto diz: "Chains!" ;)

PS: Para continuar no clima Harrison, recomendo essa matéria do Estadão com 10 bons motivos para admirar George Harrison ;)

Nunca ouviu?

Espero que você não esteja acorrentado também. Escute:

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...