Viaje neste blog

Publicidade

Canção de Natal

09/12/2011

Qual o verdadeiro espírito de Natal?

Começa o mês de dezembro e o que primeiramente vem a mente de todo mundo é o Natal. As festas de Fim de Ano são muito queridas pela maioria das pessoas. Luzes, enfeites, músicas e, obviamente, os presentes. Tudo isso é motivo de tanta alegria pelas festas natalinas. Mas é esse o verdadeiro espírito do Natal? Para refletir, vale a pena ouvir essa do Jethro Tull, do grande disco "Christmas Album" de 2003. Segue a letra:




Christmas Song
(Anderson)

Once in Royal David's City stood a lowly cattle shed,
where a mother laid her baby.
You'd do well to remember the things He later said.
When you're stuffing yourselves at the Christmas parties,
you'll laugh when I tell you to take a running jump.
You're missing the point I'm sure does not need making;
that Christmas spirit is not what you drink.

So how can you laugh when your own mother's hungry
and how can you smile when the reasons for smiling are wrong?
And if I messed up your thoughtless pleasures,
remember, if you wish, this is just a Christmas song.

Vamos à andança...

Essa canção tem um arranjo grandioso. Consiste em suma num bandolim tocado majestosamente pelo mestre Martin Barre que acompanha a voz de Ian Anderson, emocionante. Seria uma legítima canção clássica de natal. Daquelas que todas famílias gostariam de cantar em suas ceias. Mas não é. Na letra, Anderson resolveu fazer o oposto das canções: em vez de louvar a glória da época natalina e divagar sobre pinheiros e estrelas, preferiu fazer-nos questionar sobre o modo como enxergamos o natal hoje. Ele começa: "Na cidade do Rei Davi, em um abrigo de gados, uma mãe deita seu bebê. Você fará bem se lembrar das palavras que ele disse posteriormente". Em meio às cordas rápidas de Barre, Ian continua, agora mais incisivo: "Quando você estiver se recheando nas festas de Natal, você rirá quando eu falar pra você sair correndo. Você está errando o ponto, não há dúvidas, de que o espírito de Natal não é o que você bebe". Agora numa pequena virada - as cordas continuam comendo soltas, lindas - ele diz: "Então como você pode rir, quando sua própria mãe está com fome? E como você pode rir quando as razões para sorrir são erradas?". Esse é o X da questão. O Natal é maravilhoso, não há dúvidas. Não há época melhor para sair na rua, encontrar os amigos e apreciar a paisagem das cidades, todas enfeitadas com luzes maravilhosas e músicas belas. Mas e o nascimento de Jesus? Onde que entra? E a verdadeira comemoração, colocando em prática o que Ele nos ensinou? Johnny Cash lembra da lição de Cristo quando diz: "Sobre o caminho para a salvação, por meio do amor e caridade". O Jethro Tull nada mais faz do que trazer a tona isso. Costumamos ficar deslumbrados com a quantidade de enfeites, comidas e, é claro, com os presentes, mas esquecemos do essencial: tratar os nossos semelhantes como verdadeiros irmãos. Dar aos menos afortunados, se não um pouco do bem que temos de sobra, ao menos um pouco de atenção. Deixo a questão no ar, mas não quero entristecer nenhum leitor, por isso fica o lembrete no verso final da canção: "Lembre-se, isso é apenas uma canção de natal". Para encerrar, fica um comentário do próprio Ian Anderson sobre outra canção do Jethro do mesmo disco natalino chamada Birthday Card on Christmas:

"Minha filha Gael, como milhões de desafortunados, faz aniversário exatamente no dia do Natal. Obscurecidos por essa ocasião, alguns aniversários passam em branco, sem celebração. A festa do natal é tamanha que consegue apagar até mesmo o aniversário de um tal J. Cristo. Engraçado esse 25 de dezembro..."
(Ian Anderson)

Nunca ouviu?

Lembre-se, é só uma canção de natal. Escute:

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...