Mais um livro do Andarilho

[LIVRO] Lembranças de Lennon

20/11/2011

John Lennon mostra seu lado ciumento (ou violento)

Outro dia tive mais um rápido momento de vislumbre do significado da vida enquanto ouvia Beatles. A canção em questão era Run For Your Life, do meu disco preferido do quarteto: "Rubber Soul" de 1965. Curiosamente eu tinha lido há algumas semanas um fato curioso envolvendo John Lennon e sua obra. Leia mais abaixo. Segue a letra:




Run For Your Life
(Lennon/McCartney)

Well I'd rather see you dead, little girl
than to be with another man
You better keep your head, little girl
or I won't know where I am

You better run for your life if you can, little girl
Hide your head in the sand little girl
Catch you with another man
That's the end'a little girl

Well I know that I'm a wicked guy
And I was born with a jealous mind
And I can't spend my whole life
trying just to make you toe the line

You better run for your life if you can, little girl
Hide your head in the sand little girl
Catch you with another man
That's the end'a little girl

Let this be a sermon
I mean everything I've said
Baby, I'm determined
And I'd rather see you dead

You better run for your life if you can, little girl
Hide your head in the sand little girl
Catch you with another man
That's the end'a little girl

I'd rather see you dead, little girl
than to be with another man
You better keep your head, little girl
of I won't know where I am

You better run for your life if you can, little girl
Hide your head in the sand little girl
Catch you with another man
That's the end'a little girl
Na, na, na
Na, na, na
Na, na, na
Na, na, na

Vamos à andança...

John Lennon era uma figura difícil de entender. Fácil de admirar. Uma pessoa completamente amável. Mas não entendível. Depois que li mais um livro sobre ele, o excelente "Lembranças de Lennon" (Ed. Conrad) fiquei ainda mais certo disso. Na entrevista que o originou o livro, Lennon comenta - dentre outros assuntos - sobre suas músicas preferidas e as mais detestadas dos Beatles. Não me surpreendi quando ele disse que um dos seus piores trabalhos foi Run For Your Life. Imagino que ele sentia isso, pois essa foi uma das primeiras canções que demonstrou seu lado verdadeiramente ciumento e possessivo, característica que ele viria mostrar mais tarde em carreira solo em Jealous Guy, por exemplo. Mas Lennon era mesmo difícil de entender. Frequentemente dava opiniões contraditórias sobre músicas e artistas.


Tudo variava conforme seu estado de espírito e inspiração. Acredito que no dia em que deu a entrevista à Rolling Stone, Lennon de fato odiava Run For Your Life. Mas também acredito que, enquanto gravavam o estupendo disco "Rubber Soul", Lennon amava essa canção como uma obra-prima. Ela não é e nunca será um dos piores trabalhos dele. Só o fato de estar inserida no "Rubber Soul" já confirma isso. Um dos melhores discos dos Beatles - que contém canções como a dolorosa You Won't See Me, o mântra The Word, a magistral If I Needed Someone, além da outra maravilha de John, In My Life - não poderia ser encerrado de forma melhor do que com Run For Your Life. Ela nos apresenta mais um rock and roll legítimo. O tipo de som cinquentista que os inspirava e que eles gravavam no começo de carreira. Ela abre com uma introdução rápida de violão, que logo apresenta um breve, porém viajante riff de George Harrison. John não tarda a mostrar seu lado negro: "Bem, eu prefiro ver você morta, garotinha, do que com outro cara. É melhor você manter sua cabeça, garotinha, ou eu não responderei por mim". Sim. Esse é o ciúme violento do narrador que, na voz sarcástica de Lennon soa numa canção excepcional, ainda mais por adotar o termo "little girl" em vez do costumeiro "baby" ou só "girl". Faz toda a diferença. Logo após a estrofe, emenda-se o refrão, que ganha velocidade e mais duas vozes, de George e Paul McCartney, que acompanham Lennon de forma sensacional: "É melhor você correr pela sua vida, garotinha. Esconder sua cabeça na areia, garotinha. Se eu te pego com outro homem é o fim. Garotinha..." Pode parecer maligna a letra. Mas na voz desse coro no refrão não poderia ser mais gracioso. Essa puxada que encerra o refrão: "...The endah, little girl" é um dos pontos mais altos da carreira do grupo. Falando muito sério. Enquanto escrevo agora, lembro do maravilhoso show dos Beatles 4Ever na Virada Cultural que, enquanto dizia essa frase, o cover do John Lennon fazia um gesto como se estivesse cortando o pescoço. Ao mesmo tempo ele ria, como o verdadeiro Lennon. É esse o espírito de Run For Your Life. Pode parecer sério e agressivo, mas na verdade é simplesmente divertida. Permeando as estrofes, Harrison nos presenteia com as cordas alongadas de sua guitarra inspiradora. Na cozinha, Paul controla um baixo simplesmente perfeito e Ringo Starr mantem as batidas e viradas incríveis. Mais uma canção impecável. É Beatles, afinal. E John destrói e mais uma estrofe, mais a frente: "Entenda como um sermão todas as palavras que te disse. Garota, eu estou determinado. Eu prefiro te ver morta". Aqui vale destacar mais uma vez o "Rather see you dead" de John no final. Não só determinado a cantar e mostrar seu ciúme. O grupo está determinado a encerrar o melhor disco deles da melhor forma ;)

Nunca ouviu?

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...