Leia também!

Fé verdadeira

11/10/2011

A pureza de uma música é como a infância

Muitos amigos gostam de me sacanear por quê sou um dos poucos (talvez o único) que ainda usam um e-mail do BOL. Pois bem. Ontem, sem querer, cai nessa matéria do portal sobre o dia das crianças, em que algumas delas contavam por quê gostavam de ser criança. Nas imagens, só alegria, dos pequenos correndo, brincando, sem maiores preocupações na vida, além de tirar boas notas e vencer no pique-esconde. Hoje, trago uma homenagem à essa fase da vida - tão boa e pura, cujo valor só percebemos depois que perdemos e viramos prisioneiros do mundo adulto. É uma música dos H-Blockx, que recentemente me fez viajar e, coincidentemente, tem a ver com o tema. Segue a letra:




True Faith
(Sumner / Hook / Morris / Gilbert / Hague)

I feel so extraordinary
Something`s got a hold on me
I get this feeling I`m in motion
A sudden sense of liberty
I don`t care `cause I`m not there
And I don`t care if I`m here tomorrow
Again and again I`ve taken too much
Of the things that cost you too much

I used to think that the day would never come
I`d see delight in the shade of the morning sun
My morning sun is the drug that brings me near
To the childhood I lost, replaced by fear
I used to think that the day would never come
That my life would depend on the morning sun...

When I was a very small boy,
Very small boys talked to me
Now that we`ve grown up together
They`re afraid of what they see
That`s the price that we all pay
Our valued destiny comes to nothing
I can`t tell you where we`re going
I guess there was just no way of knowing

I used to think that the day would never come
I`d see delight in the shade of the morning sun
My morning sun is the drug that brings me near
To the childhood I lost, replaced by fear
I used to think that the day would never come
That my life would depend on the morning sun...

I feel so extraordinary
Something`s got a hold on me
I get this feeling I`m in motion
A sudden sense of liberty
The chances are we`ve gone too far
You took my time and you took my money
Now I fear you`ve left me standing
In a world that`s so demanding

I used to think that the day would never come
I`d see delight in the shade of the morning sun
My morning sun is the drug that brings me near
To the childhood I lost, replaced by fear
I used to think that the day would never come
That my life would depend on the morning sun...

Vamos à andança...

Curiosamente, os H-Blockx são responsáveis pela excelente Celebrate Youth, outra canção que celebra a juventude e exalta a pureza de espírito das crianças. Já True Faith, olha pro passado com uma certa melancolia, digna de quem se decepcionou com o mundo adulto e sente saudade daqueles tempos que nunca voltarão. Entretanto, a canção é uma regravação, da banda inglesa New Order, também ótima, porém mais dançante. Com os H-Blockx, True Faith deixa de lado o balanço pop e assume a identidade dos alemãos: pedrada atrás de pedrada. Começa com um riff poderoso e alongado de Tim Humpe, que chama a voz excelente de Henning Wehland. Esse, bastante versátil, começa a primeira estrofe com um tom sério, mas que logo explode num tom mais agudo e violento no refrão: "Eu costumava pensar que o dia nunca chegaria, eu me deliciava com a sombra do sol da manhã. Minha luz matinal é a droga que aproxima da infância que eu perdi, trocada pelo medo. Eu costumava pensar que o dia nunca chegaria, que minha vida dependeria da luz da manhã". A força desse refrão é impressionante, altamente cantarolável, mas ainda assim densa e viajante. A bateria de Steffen Wilmking ajuda o balanço com pancadas fortes pra acompanhar o peso da guitarra. Logo que o refrão acaba, imediatamente Wheland assume o tom anterior pra próxima estrofe, uma das mais interessantes: "Quando eu era um pequeno garoto, muitos garotos pequenos falavam comigo. Agora que crescemos juntos, eles estão com medo do que vêem. Esse é o preço que todos pagamos, pois nosso destino acabou sem valor. Não posso dizer dizer para onde vamos, acho que não há como saber". Nisso já emenda-se o sensacional "I used to think that the day would never come..." que te fará cantar e pensar junto. A Palavra "daaaay" alongada é um marco por si só. Essa última estrofe mostra um pouco desse sentimento de desilusão ao se deparar com a vida adulta. Quando crescemos não adquirimos só responsabilidades, mas também conhecimentos de dores, disputas e de como o mundo pode ser um lugar terrível, se os humanos quiserem. Quando crianças, tudo isso era substituído pela pura alegria de estar com os amigos, brincar ou ver desenhos. Nada mais. Uma música do Jack Johnson sintetiza a ideia numa epígrafe interessante: "Nós costumávamos rir bastante, mas só porque achávamos que tudo que era bom ia durar para sempre". Infelizmente não dura. A vida segue e as emoções se transformam, mas a memória permanece e te permite viajar por alguns momentos, como essa bela canção certamente faz ;)

Nunca ouviu?

Não perca a fé. Escute:

4 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom o tópico e o SOM (com certeza)!!! Realmente a música fala desse sentimento tão comum a todos nós ....o medo e a incerteza que "crescer" traz. Me recordou muito ao estilo inicial do 3 days grace....banda que curto muito.

Abs Slibor

Andarilho disse...

Valeu mestre Slibor mais uma vez. Bem lembrado, 3 Days Grace merece um posto logo menos! Falando nisso, ainda aguardo sua colaboração aqui ;)
Abraço!!

Alan Borges disse...

'orra, bem bacana o som dos mano, não conhecia essa pedrada na cara não... ficou bem "flashback de infância" mesmo, hahahaahahahaha

abração, mestre!

Andarilho disse...

Hahahah valeu grande Sensei Alan! Que bom q curtiu, te passo o cd inteiro deles ;) Absss

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...