Viaje neste blog

Homem de Lugar Nenhum

20/09/2011

Quem é o homem sentado na terra de lugar nenhum?

Quando John Lennon compôs a música sobre o "Homem de Lugar Nenhum" ele disse que a poesia era um retrato de si próprio. John Lennon, com sua percepção elevada de sentimentos e expressões artísticas, havia visto na imagem do Homem Perdido o seu próprio reflexo. Entretanto, ouso ir mais a fundo e dizer que todos nós temos um pouco de Nowhere Man. Por isso viajo hoje nessa bela obra dos Beatles, do disco "Rubber Soul" de 1965. Segue a letra:




Nowhere Man
(Lennon/McCartney)

He's a real nowhere man
Sitting in his nowhere land
Making all his nowhere plans for nobody

Doesn't have a point of view
knows not where he's going to
Isn't he a bit like you and me?
Nowhere man please listen
You don't know what you're missing
Nowhere man, The world is at your command

He's as blind as he can be
Just sees what he wants to see
Nowhere man, can you see me at all
Nowhere man don't worry
Take your time, don't hurry
Leave it all till somebody else
Lends you a hand
Ah, la, la, la, la

Doesn't have a point of view
knows not where he's going to
Isn't he a bit like you and me?
Nowhere man please listen
You don't know what you're missing
Nowhere man, The world is at your command
Ah, la, la, la, la

He's a real nowhere man
Sitting in his nowhere land
Making all his nowhere plans for nobody
Making all his nowhere plans for nobody
Making all his nowhere plans for nobody

Vamos à andança...

Como qualquer canção desse maravilhoso disco - a exemplo de In My Life, Wait ou If I Needed Someone - essa é, no mínimo sensacional. Beatles atingia seu ápice de entrosamento, com músicas sempre muito bem trabalhadas, uma harmonia impecável entre vocal principal e de apoio e uma instrumentação deliciosa. Essa é a receita também de Nowhere Man, que traz John Lennon em um de seus momento reflexivos e - por quê não - maravilhosamente melancólicos? Aqui Lennon desabafa ao se sentir um compelto deslocado no mundo. Ninguém via o mundo como ele, disso eu tenho certeza. E os versos que abrem confirmam: "Ele é um verdadeiro homem de lugar nenhum, sentado em sua terra de lugar nenhum, fazendo seus planos de lugar nenhum pra ninguém". Acompanhado por ele, Paul McCartney e George Harrison majestosamente fazem os backings afinados. Ao fundo o baixo de Paul, junto com o primoroso balanço de Ringo Starr criam um ritmo gostoso, feliz e inocente. Numa próxima virada, Lennon continua: "Ele não tem um ponto de visão. Não sabe pra onde está indo. Não é um pouco parecido comigo e com você? Homem de lugar nenhum, por favor me escute, você não sabe o que está perdendo. Homem de lugar nenhum, o mundo está sob seu comando". Até aqui, os backing acompanharam John de perto, entretando, com a ajuda dos acordes de Harrison, a canção dá uma outra virada e ganha nova vida: "Ele é tão cego quando poderia ser. Só enxerga o que quer ver. Homem de lugar nenhum você pode me ver? Homem de lugar nenhum, não se preocupe, cuide do seu tempo, sem pressa. Largue tudo até que alguém te ajude". Preste atenção nos backings nesse trecho, que permeiam cada verso do cantor com um "Aaaaaah, la la la" maravilhoso. No último verso os backings ainda se estendem: "la la la la la la". Gratificante de ouvir. Backing quase - eu disse quase - tão perfeitos quanto o maior backing vocal dos Beatles em You Won't See Me, não por acaso do mesmo disco. Uma canção triste, tratada como auto-crítica, num tom engraçado e que nos faz refletir sobre quem é esse personagem. A resposta está no verso: "Ele não se parece um pouco comigo e com você?" O Homem de lugar nenhum é John Lennon. É Paul McCartney também, George e Ringo, além de mim, é claro. Sócrates dizia que o primeiro caminho para a sabedoria é reconhecer a própria ignorância. E aqui estamos nós, Homens buscando chegar a algum lugar ;)

Nunca ouviu?

Conheça o tal Homem agora. Escute:

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...