Mais um livro do Andarilho

Para baixo, baixo, baixo

23/07/2011

Arte de estar feliz mesmo estando por baixo

Há algum tempo uma amiga me mostrou algumas canções do Bruce Springsteen. Apesar do grande respeito pelo guitarrista - principalmente pelas suas colaborações no cinema - nunca fui grande fã do mesmo. Isso até ouvir aquelas músicas. Uma delas - I'm Going Down - me atingiu tão forte nos ouvidos que passei a ouvi-la diversas vezes daí em diante. Foi essa também, a responsável por eu começar a apreciar os álbuns completos desse artista - a começar, é claro por aquele que contém essa tão empolgante viagem: "Born in USA" de 1984. Segue a letra:




I'm Goin' Down
(Springsten)

We sit in the car outside your house
I can feel the heat coming 'round
I go to put my arm around you and you
give me a look like I'm way out of bounds,
you let out one of your bored sighs
Well lately, when I look into your eyes
I'm goin' down
Down, down, down, down

We get dressed up and
we go out baby for the night
We come home early burning, burning,
burning in some fire fight
I'm sick and tired of your setting me up,
setting me up just to knock-a,
knock-a, knock-a me down

I'm goin' down
Down, down, down, down

I pull you close
but when we kiss I can feel a doubt
I remember back when we started,
my kisses used to turn you inside out
I used to drive you to work in the morning
Friday night I'd drive you all around
You used to love to drive me wild
But lately girl you get your kicks
from just driving me down

I'm goin' down
Down, down, down, down

Vamos à andança...

Tirando a música dos Beatles chamada I'm Down em que o quarteto faz um belo exemplar de rock efervescente mesclado com um refrão ironicamente tão triste quanto "Como você pode rir quando estou tão triste?", essa é a canção mais triste e alegre ao mesmo tempo que existe. Seguindo a mesma linha do FabFour, Bruce Springsteen buscou na tristeza a sua alegria. Com um balanço poderoso formado pela guitarra e bateria, Bruce descreve uma deterioração na relação amorosa que o narrador está vivendo. Na primeira estrofe ele comenta: "Ponho meus braços em volta de você, mas você me olha como se eu estivesse passando dos limites". Mais a frente a frustração vem assim: "Te puxo para perto, mas quando nos beijamos sinto uma dúvida. Lembro que no começo meus beijos te deixavam ligada. Eu costumava te levar no trabalho de manhã, e de noite te levava para passear, enquanto você adorava me deixar louco. Mas ultimamente, garota, você se diverte simplesmente me deixando pra baixo". Um detalhe aqui fica na preciosa utilização de "drive" nos excelentes versos consecutivos ("drive you to work", "drive you all around", "drive me wild" e "drive me down"). Lendo a letra, pode parecer tudo triste, mas como dito acima, numa primeira e/ou desatenta escutada, você não conseguirá ficar parado. O balanço empolgante, também conduzido pelos versos na ótima voz de Springsteen sempre culminam no refrão em que ele repete enérgico: "I'm going down, down down, down. I'm going down down down" ("Estou indo para baixo"). Esse trecho por si, já valeria a música toda, tamanha a força do refrão, mas a obra completa vale uma viagem, principalmente por tirar de uma situação "baixa, baixa, baixa", força pra te levar pra "cima, cima, cima" ;)

Nunca ouviu?

Agora você vai pra cima! Escute:

Um comentário:

Alê Araújo disse...

Fe!! ele é demais e eu sabia que mais cedo ou mais tarde vc iria gostar!! rsrs..adorei! bjao

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...