Leia também!

[LANÇAMENTO] Slash

03/03/2011

E a verdade sobre a relação Guns N'Roses x Axl Rose x Slash

Ontem vi que a organização do Rock In Rio 2011 colocou no site oficial do evento uma enquete para eleger qual artista do rock e do pop virá se juntar ao mega evento que retorna ao país de origem depois de quase 10 anos. Fiquei bastante feliz com a iniciativa dos produtores, mas após votar e constatar o resultado parcial, fiquei decepcionado com a mente fechada da grande maioria de roqueiros que elegiam em milhares de votos, Guns N'Roses com larga vantagem. Deixo aqui como protesto uma música do disco solo do Slash, lançado ano passado e um breve texto comparativo entre Guns N'Roses e seu antigo guitarrista. Segue a letra:





I Hold On
(Slash)

I feel your comfort in my dreams
Unprotected silent screams
Light beyond your shadow beams
Still I don't know what it means

When seasons change
Memories remain
I hold on cause I won't let go
Even though I know there's solitude below
I hold on cause I cant' let go
I refuse to let the hands of fate unfold
I hold on

And when the darkness turns today
I won't let you drift away
Conscience fades and some let go
But I hang on cause I know

When seasons change
Memories remain
I hold on cause I won't let go
Even though I know there's solitude below
I hold on cause I cant' let go
I refuse to let the hands of fate unfold
I hold on

I hold on cause I won't let go
Even though I know there's solitude below
I hold on cause I cant' let go
I refuse to let the hands of fate unfold

No, no
I refuse to let the hands of fate unfold
I hold on
I hold on
I refuse to let the hands of fate unfold
I hold on

Vamos à andança...

Depois que Slash saiu do Guns N'Roses em 1996 a banda deveria ter acabado. Sempre fui grande fã da banda e agindo pelo bem dela, essa seria a melhor saída. Pelo menos ela ficaria marcada na história do rock and roll como um gigante com um repertório impecável. Os gigantes sabem quando parar e sempre param no auge, como fizeram Beatles, Led Zeppelin, Doors, dentre tantos outros. Se essas bandas não tivessem aceitado o fim e tivessem tentado adiar o inevitável, sem dúvida estariam em outro patamar que não o de Lendas. Guns N'Roses quase chegou nesse nível. Quase. Axl Rose morreu, mas não deitou. Engordou, perdeu a voz maravilhosa, trocou de músicos centenas de vezes, comprou a marca "Guns N'Roses" e prometeu um disco por 15 anos. Quando finalmente saiu em 2008, o "Chinese Democracy" não tinha nada demais, ficando muito aquém do esperado. Tirando duas ou três canções, era preferível que o disco ficasse apenas nos boatos, pois acabou manchando a maravilhosa discografia do Guns até então. Paralelamente, Slash, aquele que junto com Axl foi o grande responsável pelo sucesso dos Roses outrora, montou a ótima banda Velvet Revolver e seguiu seu caminho. Em 2010, o guitarrista, que ainda tem no repertório gravações com Alice Cooper, Michael Jackson e essa com Lenny Kravitz, lançou seu primeiro disco solo. Entitulado simplesmente "Slash", o disco tinha tudo o que "Chinese Democracy" não tinha: boa produção, novidade e vida própria. Cada faixa trás o guitarrista em sua melhor forma, debulhando nos riffs com um rock vigoroso e uma excelente banda de apoio. O destaque maior fica à cargo das parcerias. Slash sabe que seu negócio é a guitarra e por isso convidou um vocalista de peso pra cada canção. Dentre as participações mais que especiais estão Ozzy Osbourne (ex-Black Sabbath) numa revigorante canção que trás à tona os anos de ouro do Príncipe das Trevas; Ian Astbury (The Cult) sempre incrível, Chris Cornell (ex-Audioslave e atual Soundgarden) rasgando nos vocais numa balada emocionante, além de Myles Kennedy, Iggy Pop e Fergie (Black Eyed Peas, surpreendente) que fazem com que cada canção soe única. Nessa maravilhosa canção, o participante da vez é Kid Rock, renomado músico do country, blues e southern rock. Com uma introdução vigorosa, uma letra profunda, um vocal excelente de Kid Rock, além de backings suaves femininos, I Hold On é uma aula de esperança. Não só que o rock ainda pode se renovar sempre quando em boas mãos, mas esperança pra tudo em que você acredita. Observe apenas o refrão: "Eu persisto porque eu não deixarei passar, mesmo sabendo que há apenas solidão abaixo. Eu persisto, pois não posso deixar escapar. Eu me recuso a deixar as mãos da fé se abrirem". Na voz do Kid Rock é de trazer uma lágrima pro olho, cuidado. E obrigado, Slash. E enquanto isso, Eric Clapton, Green Day e Soundgarden provavelmente ficam de fora do Rock In Rio, já que mais uma vez "Guns N'Roses" fará um show mediano pros seus fãs inocentes que terão ali a ilusão de um Guns da época em que Slash comandava a guitarra ;)

Nunca ouviu?

Essa sim vale a pena. Escute:

Um comentário:

Alan Borges disse...

é uma lástima o que acontece com o guns atualmente... o nome da banda se sobrepõe à qualidade da mesma... os fãs atuais têm dificuldade de perceber que esse guns é completamente desconsertado...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...