Viaje neste blog

Publicidade

Do vale vieram os soldados marchando

18/03/2011

Uma batalha épica em uma música mítica

Essa banda é mais uma que me foi apresentada pelo meu grande amigo Alan Borges, do blog N64-Brasil. Há um tempo atrás eu jamais imaginaria que Thin Lizzy viria parar aqui. Pouco eu conhecia e pouco tinha interesse em saber sobre a banda dona de Whiskey in a Jar, que ficou tão famosa com o Metallica. Mas graças ao disco "Jailbreak" (1976), indicado pelo Alan, Thin Lizzy agora domina meu player mais do que qualquer banda. Então agora vai uma desse disco, altamente viajante. Segue a letra:





Emerald
(Gorham / Downey / Robertson / Lynott)

Down from the glen came the marching men
With their shields and their swords
To fight the fight they believed to be right
Overthrow the overlords

To the town where there was plenty
They brought plunder, swords and flame
When they left the town was empty
Children would never play again

From their graves I heard the fallen
Above the battle cry
By that bridge near the border
There were many more to die

Then onward over the mountain
And outward towards the sea
They had come to claim the Emerald
Without it they could not leave

Vamos à andança...

Engraçado como algumas bandas têm competência pra criar o clima perfeito pra determinada música. A base de uma banda de rock geralmente é: uma guitarra, uma bateria, um baixo e uma voz. Mas como então conseguem criar ambientes que vão desde o clima praiano, até uma odisséia espacial? É impressionante. Alguns músicos fazem o que querem. Thin Lizzy criou em Emerald uma sensação primorosa e única de uma batalha épica medieval. Percebi isso antes de ouvir a letra, mas depois de ler a mesma constatei que era isso mesmo. Emerald trata de uma batalha de "soldados marchando com seus escudos e espadas para lutar uma batalha que eles acreditavam estar certa". E durante essa primeira estrofe cantada vigorosamente por Phil Lynott, ouvimos uma guitarra pesada fazendo um aquecimento sensacional ao fundo. Ele canta como se declamasse uma história, praticamente encarnado um bardo medieval, só que sem seu violão, e sim com a guitarra tão agressiva quanto sua voz. Após a segunda estrofe, a guitarra de Scott Gorham dispara num riff evoluído daquele aquecimento. É uma progressão tão boa que te transporta pro meio da guerra. Ao ouvir, você quase tem que olhar pros lados pra tomar cuidado com algum cavalo avançando. E inspirado por essa onda rítmica eles avançam e destróem. Lynott descreve o resultado: "De suas covas eu ouvia os caídos acima do choro da batalha. E perto da ponte haviam muito mais morrendo" e encerra com a última estrofe: "E avante na montanha e em direção ao mar, eles vieram reivindicar a Esmeralda. Sem ela eles não poderiam partir". Então a instrumentação abaixa e depois ganha força aos pocuos até explodir num solo fenomenal. Após o solo, novamente a marcha do riff volta e assim acaba a saga mítica da Esmeralda. Os motivos ou detalhes acerca da história não são contados. Cabe a nós ouvirmos e imaginarmos à respeito. E com essa instrumentação fica fácil imaginar ;)

Nunca ouviu?

Aqui está sua jóia. Escute:

2 comentários:

Alan Borges disse...

Maravilha de review, velho. Gostaria de escrever como vc!

Andarilho disse...

Que isso cara. Vc escreve tao bem q to ainda esperando sua nova participação, hehe. Valeu pelo Thin Lizzy, Abraço!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...