Sobre o Autor

Minha foto

Sou um homem em constante dualidade. Metade de mim queria ser um astro do Rock. A outra metade um monge budista. O resultado disso foi um blog que mistura John Lennon e Jesus Cristo e um livro chamado Heróis e Anônimos.

Vou perder a cabeça se você não for me ver

11/12/2010

Rubber Soul (1965) é meu disco favorito dos Beatles. Dentro desse disco, minha canção favorita é You Won't See Me, uma bela, alegre e ao mesmo tempo dolorosa canção de Paul McCartney. Não, não estou postando pela influência do show dele, embora o mesmo ainda ecoe vigorosamente na minha cabeça, alojado no HD indeletável. Fato é que essa canção é realmente especial e fazia tempo que eu queria viajar nela. Vamos lá! Segue a letra:




You Won't See Me
(Lennon/McCartney)

When I call you up
Your line's engaged
I have had enough
So act your age
We have lost the time
that was so hard to find
And I will lose my mind
If you won't see me
you won't see me

I don't know why
you should want to hide
But I can't get through
My hands are tied
I won't want to stay
I don't gave much to say
But I can't turn away
And you won't see me
you won't see me

Time after time
You refuse to even listen
I wouldn't mind
If I knew what I was missing

Though the days are few
They're filled with tears
And since I lost you
It feels like years
Yes, it seems so long
Girl, since you've been gone
And I just can't go on
If you won't see me
you won't see me

Time after time
You refuse to even listen
I wouldn't mind
If I knew what I was missing

Though the days are few
They're filled with tears
And since I lost you
It feels like years
Yes, it seems so long
Girl, since you've been gone
And I just can't go on
If you won't see me
you won't see me

Vamos à andança...

Essa canção destaca-se primeiramente por ter mais de 3 minutos, algo raro na primeira fase do quarteto e que torna essa canção ainda mais agradável. Ela é incansável e você quer cada vez mais ouvir seu refrão e suas estrofes empolgantes. Mas já chegaremos neles. Antes vale lembrar que essa é uma das muitas canções que McCartney escreveu pra sua primeira namorada da fase Beatle, Jane Asher. Nessa época, os dois haviam brigado, e Asher muitas vezes evitava o baixista, ignorando suas ligações e pedidos de desculpas, o que deixava o cara louco (e não é pra menos). Tudo isso está mostrado numa letra que traz um ritmo alegre, uma instrumentação empolgante e backing vocals muito bons em cada verso, porém tudo com um quê melancólico. Paul começa desolado: "Quando eu te ligo está ocupado. Eu já tive o bastante, então haja de acordo com a sua idade. Nós perdemos o tempo que é tão difícil de encontrar e eu vou perder a cabeça se você não for me ver". Nesse ponto entra os já citados, mas tão incríveis backings novamente: "You won't see me". Esse tipo de musicalidade ilustra bem a fase em que os Beatles estavam vivendo. Tinha um pouco da inocência de outrora com mais um bocado do amadurecimento inevitável daqueles gênios. À primeira-escutada pode parecer "mais uma música bonitinha" mas uma analisada mais profunda - ou uma simples lida na letra - mostra que há muito mais ali. Há um timing perfeito em cada verso, uma bateria primorosamente marcada por Ringo Starr e viradas sensacionais, como quando Paul introduz o refrão: "Hora após hora você se recusa a ao menos ouvir. Eu não fazia idéia... Se eu soubesse o que eu estava perdendo..." Esse trecho é um show à parte. Quem ouvir e não sentir um pouco da dor de McCartney ao dizer a palavra "missing" é por quê é parente do Rambo 4. Onde entra o mestre Lennon nessa canção? Num ponto crucial: justamente o "Missing" tão emocionante de Paul é antecipado por daquilo que chamo de "Melhor Backing Vocal dos Beatles". John aparece do nada e expôe o pensamento real do narrador numa frase com ritmo completamente diferente que ganha a mesma importância do vocal principal: "No, I wouldn't know what I was...". Emendado pelo famoso "Missing" de Paul que resulta em: "Não, eu não saberia o que eu estava perdendo". Maravilhoso. Um trabalho incrível de vozes sobrepostas somado à uma instrumentação perfeita. Além desse refrão ótimo, há a estrofe que o antecede, sendo meio que um segundo refrão, ótima também na voz do McCartney: "Esses dias são poucos e estão recheados de lágrimas. Desde que eu te perdi, parecem anos. Sim, eles parecem tão longos, garota, desde que você foi embora... E eu não posso continuar se você não for me ver". Sério, até escrever essa letra é prazeroso. Um exercício pra limpar a mente. Uma poesia tão triste que se torna bonita e tão bonita que se torna alegre, essa é a melhor canção do melhor álbum dos Beatles ;)

Nunca ouviu?

Confie em mim. Você não vai se arrepender. Escute:

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...