Leia também!

Para que meus inimigos tenham pés e não me sigam

05/07/2010

Eu estava realmente acreditando na seleção brasileira. Não sei por quê, mas eu estava. Já tinha até separado uma canção nacional excelente pra postar no momento de maior alegria brasileira, mas como não rolou eu é que não vou disperdiçar essa música. Afinal, rezar um pouco nunca faz mal, não é? Essa é do Jorge Ben, cara que não aparecia aqui desde que meu amigo Caio escreveu um especial impecável pra ele ano passado. É do álbum "Solta o Pavão", de 1975. Segue a letra:




Jorge Da Capadócia
(Ben)

Jorge sentou praça na cavalaria
E eu estou feliz porque eu também sou da sua companhia
Eu estou vestido com as roupas e as armas de Jorge
Para que meus inimigos tenham pés, não me alcancem
Para que meus inimigos tenham mãos, não me peguem, não me toquem
Para que meus inimigos tenham olhos e não me vejam
E nem mesmo um pensamento eles possam ter para me fazerem mal

Armas de fogo, meu corpo não alcançará
Facas, lanças se quebrem, sem o meu corpo tocar
Cordas, correntes se arrebentem, sem o meu corpo amarrar
Pois eu estou vestido com as roupas e as armas de Jorge

Jorge é de Capadócia, viva Jorge!
Jorge é de Capadócia, salve Jorge!

Perseverança, ganhou do sórdido fingimento
E disso tudo nasceu o amor
Perseverança, ganhou do sórdido fingimento
E disso tudo nasceu o amor

Ogam toca pra Ogum
Ogam toca pra Ogum
Ogam, Ogam toca pra Ogum

Jorge é da Capadócia
Jorge é da Capadócia
Jorge é da Capadócia
Jorge é da Capadócia

Ogam toca pra Ogum
Ogam toca pra Ogum

Jorge sentou praça na cavalaria
E eu estou feliz porque eu também sou da sua companhia

Ogam toca pra Ogum
Ogam toca pra Ogum

Vamos à andança...

Comecei a gostar de São Jorge quando lí um livro chamado "O Andarilho", de Bernanrd Cornwell. Com um título desses não é de se esperar pouca coisa ;) Mas deixando a egocentria de lado, vamos ao livro. Esse é a 2ª parte de uma trilogia chamada "A Busca do Graal", uma visão realista da procura desse objeto místico que, como dizem as lendas, testou a fé dos homens acima de qualquer coisa. Nessa versão de Cornwell, a busca está situada na Guerra dos 100 Anos, entre França e Inglaterra. Numa Europa essencialmente cristã, os soldados - durante as batalhas - buscavam o apoio de seus santos padroeiros. A França marchava com a benção de São Denis, antigo bispo de Paris. Já a Inglaterra, com seus arqueiros implacáveis, pedia a benção de São Jorge. Foi exatamente aí que eu passei a simpatizar com o honrado santo matador de dragões. Consequentemente, passei a simpatizar com tudo que enaltecia a coragem e o poder de São Jorge - de ilustrações à poesias, de gravuras à letras de música.


"Saint George", arte de Isikol

É aí que entra Jorge Ben. Esse brasileiro, cujo qual considero sem o menor rodeio, o maior nome da música nacional em todos os tempos, criou simplesmente a mais bela poesia em forma de oração para homenagear o santo que carrega o mesmo nome que ele: São Jorge, da Capadócia. A beleza tamanha da obra fica por conta do pedido de proteção contra "os inimigos" sem desejar-lhes mal. Só muita nobreza é capaz disso, observe: "Eu estou vestido com as roupas e as armas de Jorge, para que meus inimigos tenham pés e não me alcancem. Para que meus inimigos tenham mãos, não me peguem, não me toquem. Para que meus inimigos tenham olhos e não me vejam". Odiar o inimigo é fácil. Díficil é não se igualar ao seu inimigo e não desejar-lhe mal, como ele faz. Como diria Jesus Cristo, "Devemos amar nossos inimigos. Aquele que ama a quem o ama, já recebeu sua recompensa". E é essa a nobreza fascinante que Jorge Ben carrega, dada sua fé no Santo. Além da voz bacana de Ben, há também um violão limpo e animado (com uma introdução excelente) e um coro sensacional que mantém a energia, repetindo aos gritos: "Jorge! Da Capadócia!". Jorge, o nosso, criou uma intrumentação de nível alto - comum em seus trabalhos - digna de São Jorge e da qual não sou digno de falar mais. Só posso repetir mais uma vez a frase que repito todos os dias ;)

"Jorge sentou praça na cavalaria,
E eu estou feliz porque também sou da sua companhia"


Nunca ouviu?

Entre na companhia de Jorge também. Escute:

Um comentário:

Tábata disse...

Bem legal seu post diferente! Não conheço as músicas do Jorge Ben, apesar de gostar da boa música nacional, mas gostei dessa letra... não há nada mais enaltecedor ao ser humano do que não desejar mal aos inimigos ;)

Beijos

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...