Viaje neste blog

Publicidade

Gelo Negro!

02/07/2010

Ontem durante uma conversa sobre música com meu grande amigo Cassio fiz um comentário rápido, porém sincero: "A perda do show do ACDC no fim do ano passado talvez tenha sido a maior perda musical que eu já cometi". É triste, mas é verdade. "Sad but true" como diria Metallica - outra perda, porém não tão grande pra mim. O fato é que ao longo desse ano fui me tornando cada vez mais fã da banda dos irmãos Young, e após escutar muitos álbuns deles, posso dizer com firmeza que o "Black Ice" (2008) é o melhor trabalho deles. Sim, o melhor. Por isso trouxe a canção título pra viajar hoje. Segue a letra:




Black Ice
(Young / Young)

Well the devil may care,
You toss 'em back and be a man,
With the last time,
Black ice,
End of it all, end of the line,
End of the road,
Uhhhh!!!
Black ice,
Black ice,

Come on and bleeding out the crowds,
We're watching all the women go,
Many a mile I'll never take,
I run for forty miles and come up runnin' late,
Don't you know I live it down,
When the devil come a callin' I aint gonna be around,
Black ice,
Black ice,
Black ice,
The devil come a callin' I aint gonna be around,
Black ice,

Livin' long, livin' long,
Sleep all alone, you're gonna take it all,
And I'm gonna rip it out,
I'll kick, I creep crawl down your street,
I'll gouge your eyes out,
Black ice,
Black ice,
Black ice,
Black ice,

My life,
Black ice,
My life,
Black ice,
My life,
When the devil come a callin' I aint gonna be around,
I'll kick, I creep crawl down your street, and gouge your eyes out,
Black ice

Vamos à andança...

Conheci uma vez um cara que entendia muito de guitarras. Tocava há uns 10 anos e entendia até de engenharia de som. Perguntei à ele qual sua banda favorita, ao que ele respondeu Iron Maiden. Não sou fã de Iron, mas a banda tem lá seu respeito e ia fazer um show próximo também. O cara, é lógico, já tinha os ingressos. Perguntei se ele iria no show do ACDC que também se aproximava, em sua turnê mundial do "Black Ice". O cara respondeu com sinceridade: "Não sou fã de ACDC..." e depois completou: "Mas respeito imensamente Angus Young". É aí que está. Uma coisa é fazer músicas legais. Outra é ter respeito. E outra ainda é ter os dois. ACDC é um dos melhores exemplos desse último grupo. Quando ouve-se a música Black Ice (e o álbum todo, diga-se de passagem) é impossível ficar indiferente. O riff que começa e leva a canção toda é mais que só bom. É muito bom e impõe moral. Angus é uma máquina de criar riffs. Para saber disso é só ouvir 2 discos quaisquer deles. Mas o diferencial é que cada riff é criado com óbvio amor ao rock and roll. É isso que traz respeito inquestionável ao ACDC. Sim, não só a Angus Young, mas à banda toda. Veja só Brian Johnson entrando nervoso com um grito ótimo: "Well, Devil may care!" e sua voz grave e sinistra que diz em meio à paradinhas momentaneas da instrumentação: "Black Ice". Essas paradinhas e aceleradas perfeitas são responsabilidade principal do baterista Phil Rudd que não economiza nas pancadas ao longo da música. A conversa entre bateria e guitarra é delirante, impossível de descrever. O baixo permeia a canção discretamente, mas presente. As vocalziações de Johnson continuam fazendo brotar energias positivas enquanto o riff dá uma caídinha e fica bem de leve mais agudo até que ele solta um verso longo bacana de ouvir: "When the devil come a callin' I aint gonna be around" ("Quando o diabo chegar eu não quero estar por perto"). Angus então faz um solo bom, mas a atenção ainda se mantem no riff, incansável que continua comendo solto até o encerramento com mais pancadas violentas na bateria. Assim encerra-se a música e a minha constatação acima: realmente essa foi uma das maiores perdas musicais que cometi. Mas não perderei outra chance, caso eles voltem. Isso nunca ;)

Nunca ouviu?

Não perca a chance então. Escute:

Um comentário:

Vagno Fernandes disse...

Belas palavras Andarilho.
Depois de tantos anos sem lançar um disco, os fãs do AC/DC estavam meios receosos que a banda voltasse com um album estranho, que soasse diferente de seus outros trabalhos. Mas não! Pra acalmar geral os caras trouxeram o bom feijão-com-arroz de sempre, só que muito bem feito, que alimenta, empolga e diverte na medida certa. E para uma banda do calibre do AC/DC, estar a tanto tempo no ar sem se entregar a modinhas ou outros artifícios engrandece mais ainda o respeito que eses caras têm mundo afora. Ótimo post Brother.

PS: Também estou pedindo perdão a mim mesmo por não ter ido neste show!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...