Sobre o Autor

Minha foto

Sou um homem em constante dualidade. Metade de mim queria ser um astro do Rock. A outra metade um monge budista. O resultado disso foi um blog que mistura John Lennon e Jesus Cristo e um livro chamado Heróis e Anônimos.

Asinha

27/05/2010

Nunca me senti muito à vontade para falar de Jimi Hendrix. Não que eu não vá com a cara do deus da guitarra, muito pelo contrário. Justo por ele ser tão absurdamente elevado em termos musicais, e por eu, tolamente, conhecer pouco de seu trabalho, é que me sinto desconfortável pra comentá-lo. Sinto que qualquer viagem que eu faça não será o suficiente para o mestre. Mas vou arriscar, até por que essa música é uma das mais bonitas que têm. Faz parte do grandioso "Axis: Bold as Love" de 1967. Segue a letra:




Little Wing
(Hendrix)

Well, she's walking through the clouds
with a circus mind
that's running round.
Butterflies and zebras and moonbeams
and fairy tales,

That's all she ever thinks about ...

Riding with the wind.

When I'm sad, she comes to me
with a thousand smiles.
She gives to me free.

It's alright, she said,
it's alright.
Take anything you want from me,
You can take anything, anything.

Fly on, little wing
Yeah, yeah, yeah, little wing...

Vamos à andança...

Pra ilustrar bem a minha ignorância diante de um mito como o digníssimo Jimi Hendrix, a primeira vez que ouvi essa canção, foi na voz de Skid Row, de um disco deles apenas de covers, chamado "B-sides Ourselves". Era uma versão tocante que contava com o riff do mestre perfeitamente executado pelo guitarrista Rachel Bolan e, para minha alegria, era mais comprida. Sim, pois se a original de Hendrix tem um defeito, é justamente esse: é curta demais. Ele deveria nos manter mais tempo sonhando, nas nuvens e nas pequenas asas dessa menina angelical. Essa canção parece que foi um momento rápido e único do mestre, no qual ele teve uma inspiração majestosa do que seria o sublime. Saiu Little Wing... Para os que não se contentaram com os rápidos 2 minutos dessa maravilha, outro mestre, chamado Steve Ray Vaughan, gravou sua própria versão, apenas instrumental de Little Wing, que agora tinha mais de 5 minutos de pura viagem nos acordes sensacionais do guitarrista texano. Por um momento fiquei satisfeito, mas ainda havia algo faltando, pois outro ponto que torna essa uma obra única é a poesia, na voz poderosa de Jimi Hendrix, dizendo: "Bem, ela anda através das nuvens, com uma mente circense correndo por aí. Borboletas, zebras e raios da lua, e contos de fadas... É tudo o que ela pensa, correndo com o vento". Mais pura do que essa menina, somente a guitarra que a acompanha, junto com a paradinha da bateria e a puxada pro refrão, na voz comovente do homem-lenda: "Quando estou triste, ela vem até mim. Com milhares de sorrisos, que ela me dá de graça. Está tudo bem, ela disse, está tudo bem. Você pode ter o que quiser de mim, o que quiser". Depois disso, começa um solo tão delicado e emocionante como poderia ser, em que Jimi diz suavemente: "Voe, asinha". Nesse momento você já está perdido nas nuvens, flutuando ao longe nas casas da guitarra limpa e perfeita, carregado pelas asas pequenas, mas poderosas. Apenas cuidado pra não ir longe, pois como dito acima, a música é curta. Mas depois disso é só voltar, dar o play e esperar o anjo de novo ;)

Nunca ouviu?

Então é agora que você voará longe. Escute:



Vale a pena ouvir também. Versão de Stevie Ray Vaughan:

3 comentários:

Renato disse...

Sensacional

Danusa disse...

Qdo coloquei pra tocar logo me veio uma outra versão dessa música...a única q eu conhecia mesmo sabendo q era uma música de jendrix originalmente...Little Wings cantada e tocada pelos irmãos..(não ...não são os Hanson) Corr. Sabe o The Corrs?! http://www.youtube.com/watch?v=M5rVgxmekeM ouça essa versão folk/irlandesa/sensacional/+ de 4 minutos. rsrs

Dani Karasawa disse...

Realmente, essa versão do The Corrs é irresistível. O unplegged todo desse grupo é sensacional. =D
@PrincessF1

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...