Mais um livro do Andarilho

No final escuro da rua

15/03/2010

Postei apenas uma vez até agora sobre os Commitments. Olhando agora não sei como não pude falar mais deles, pois é uma banda que tenho grande apreço. Essa música faz parte do primeiro CD deles, o "Commitments Vol 1" de 1991 (que diga-se de passagem, fez tanto sucesso que depois lançaram o volume 2). É muito bom pra ser uma banda de mentira. Segue a letra:





The Dark End of the Street
(Moman / Penn)

At the dark end of the street
That's where we'll always meet
Hiding in shadows
Where we don't belong
Living in darkness
To hide our wrong
You and me
At the dark end of the street
You and me

I know that time's gonna take its toll
We'll have to pay for the love that we stole
Cause it's a sin and we know that we're wrong
Oh, but our love keeps coming on strong
Steal away
to the dark end of the street
You and me

They're gonna find us
They're gonna find us
They're gonna find us someday
We'll steal away
To the dark end of the street
You and me

And when the daylight hour rolls around
If by chance we are both down in the town
If we should meet, just walk, walk on by
Oh darlin' don't you cry
Oh, darling, please don't cry
Tonight we'll meet

At the dark end of the street
You and me
You and me
You and me

Vamos à andança...

Certa vez no programa Top-Top da MTV, eles elegeram as 10 melhores bandas do cinema de todos os tempos. A minha antiga preferida, The Wonders, estava na lista, mas quem ficou em primeiro foi The Commitments. Hoje entendo a razão - e concordo. Commitments é tão bom que foi uma banda fictícia, mas que se tornou real depois. Todos os seus membros escolhidos para o filme já eram músicos profissionais desconhecidos e que, após o sucesso do filme e de sua impecável trilha sonora, se tornaram estrelas reais. É fácil perceber que isso seria inevitável. Ouça essa canção e dê seu próprio aval. The Darh End of The Street, na voz e som dos Commitments, é uma benção de se ouvir. Andrew Strong, o vocalista principal, com sua voz extremamente grave, recita com uma delicadeza e emoção profundas cada triste verso aqui cantado. A letra fala de um amor proibido, obrigado a se esconder nas "sombras do final da rua". A música começa com acordes simples, e a voz de Strong entra junto com a batida na bateria. Ao fundo, entre as palavras há um teclado bem suave, um detalhe ótimo. Ele começa: "Nas sombras do final da rua, é onde sempre nos encontramos. Escondidos na escuridão, onde não pertencemos. Para esconder nosso erro, você e eu, nas sombras do final da rua". Aqui é um momento excepcional, quando a backing vocal principal (a mais bonita delas, Maria Doyle Kennedy), repete com uma graciosidade extrema na voz: "At the dark end... of the street" e o "You and me". Sério, isso é preciso ouvir. Mas minha parte favorita é a subida para a segunda estrofe, onde a música da uma virada toda, e os versos lentamente voltam ao seu ritmo original tão bonito. Outro ponto alto é o drama desesperado do narrador ao temer que seu caso secreto seja descoberto: "They gonna find us!" ("Eles vão nos encontrar") repetido 3 vezes é de trazer uma lágrima teimosa ao olhos, sobretudo porque ao fundo as 3 backings fazem um coro sensacional. Já na terceira estrofe há outra daquela virada incrível e mais backings emocionantes. Vou até ter que parar de escrever pra teimosa não sair aqui, enquanto isso o amor proibido segue forte, "roubado até o final escuro da rua" ;)

Nunca ouviu?

Então compense e ouça todos os dias a partir de agora. Escute:

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...