Viaje neste blog

Publicidade

Na Fria Chuva de Kentucky

19/01/2010

Escutando bastante o rei (entenda-se Elvis Presley) ultimamente, ouvi uma daquelas músicas que você ouve e sente arrepios em algum momento. E esse momento faz você gostar da música inteira e esperar para ouvi-lo de novo e de novo. Aqui está um desses momentos, numa canção incrível, single que saiu em 1970, e que conheci na coletânea "2nd to None". Segue a letra:





Kentucky Rain
(Rabbitt/Heard)

Seven lonely days
And a dozen towns ago
I reached out one night
And you were gone
Don't know why you'd run,
What you're running to or from
All I know is I want to bring you home

So I'm walking in the rain,
Thumbing for a ride
On this lonely Kentucky backroad
I've loved you much too long
And my love's too strong
To let you go, never knowing
What went wrong

Kentucky rain keeps pouring down
And up ahead's another town
That I'll go walking thru
With the rain in my shoes,
Searchin for you
In the cold Kentucky rain,
In the cold Kentucky rain

Showed your photograph
To some old gray bearded man
Sitting on a bench
Outside a gen'ral store
They said "Yes, she's been here"
But their memory wasn't clear
Was it yesterday,
No, wait the day before

So I fin'ly got a ride
With a preacher man who asked
"Where you bound on such a cold dark afternoon?"
As we drove on thru the rain
As he listened I explained
And he left me with a prayer
That I'd find you

Vamos à andança...

Aprendi na faculdade, na aula de áudio e vídeio que o silêncio é tão, ou até mais poderoso que uma trilha sonora emocionante. É verdade, mas ele precisa ser bem usado pra obter-se o efeito desejado. É preciso muita maestria pra saber onde e quando inserir o silêncio. Elvis Presley é mestre e sabe fazer isso. Essa canção, que pode ser considerada uma das baladas românticas do rei, traz um dos momentos mais emocionantes que já ouvi numa música. Mas antes disso é preciso observar a letra, entitulada "Chuva de Kentucky", que conta uma história triste do ponto de vista do narrador. Ele está inconformado com a fuga de sua amada: "Não sei por quê você fugiria. Para quem ou de quem você corria. Tudo que eu sei é que queria te trazer pra casa". Assim, determinado, ele vai de cidade em cidade, debaixo da tempestade em busca dela. Ninguém segura um andarilho determinado: "Te amei por muito tempo, e meu amor é forte demais pra te deixar partir, sem nunca saber o que houve de errado". Pronto, agora que já situamos personagem e enredo, está quase na hora do momento glorioso e emocionante de fazer subir frio pela espinha. Começa o refrão, um aquecimento pro clímax: "Chuva de Kentucky continua caindo forte, e logo a frente mais uma cidade, para aqual eu irei andando". Calma falta pouco, agora as backing vocals numa suavidade incrível ajudam Elvis no verso: "With the rain in my shoes" ("com a chuva nos meus sapatos"). Pronto, chegou. Aqui entra um silêncio maravilhoso, genial e de poucos milésimos de segundo:


...


"SEARCHING FOR YOOOUUUUUU!"

Vem então esse grito direto do âmago da dor do ser humano. Sabem como é o poder de Elvis na voz, agora imaginem um grito primoroso, desesperado, dilacerante que contrasta de forma perfeita com o tranquilo silêncio que o precedia. Esse é o ápice musical, que vale a pena ser escutado por todos. Somente ele, o rei, poderia criar um filme inteiro, digno de Oscar, numa música de 3 minutos. É... Elvis fez tudo mesmo ;)

Obs: Nem precisava, mas vou contar o fim da história da letra: Ele encontra um pregador religioso que lhe dá uma carona até a próxima cidade. "Então ele me deixou lá, com uma benção, de que eu te encontraria".

Nunca ouviu?

Pelo menos o refrão você tem a necessidade de ouvir. Escute:

Um comentário:

Tábata disse...

Elvis é divino!

E esse silêncio de milésimos de segundos consegue nos remitir à tantas coisas q pra consciência precisaria de horas.


bjo

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...