Viaje neste blog

Publicidade

Sonhos de amanhã

08/01/2010

O Black Sabbath não é uma das minhas bandas de cabeceira, mas que os caras fizeram um som bom demais, isso é indiscutível. Que Ozzy Osbourne é uma das peças mais icônicas não só do mundo do rock, mas de todo universo musical, isso também é indiscutível. E é fato também que o quarto álbum deles, o "Black Sabbath Vol. 4" de 1972, tem feito me viajar demais ultimamente. Por isso o espaço de hoje é deles. Segue a letra:





Tomorrow's Dream
(Iommi/Osbourne/Ward/Butler)

Well I'm leaving tomorrow at daybreak
catch the fastest train around nine
Yes I'm leaving the sorrow and heartache
before it takes me away from my mind

Send me love and I may let you see me
Send me hopes that can spin in my head
But if you really want me to answer
I can only let you know when I'm dead

When sadness fills my days
It's time to turn away
and then tomorrow's dreams
become reality to me

So realize I'm much better without you
You're not the one and only thing in my heart
I'll just go back to pretending I'm living
so this time I'm gonna have to depart

Vamos à andança...

Esse álbum é famoso pela triste (no bom e mau sentido) canção Changes em que Ozzy dá a entender que também tem sentimentos. Mas essa não é nem de longe a graça do Black Sabbath. O poder deles vem do peso, das guitarras do genial Tony Iommi, das pancadas violentas na bateria e do baixo borbulhante. Tomorrow's Dream tem tudo isso, e faz viajar muito. Ela começa com um incrível riff distorcido, permeado pela bateria. A voz de Osbourne surge marcante como sempre, mas assim que ele encerra uma estrofe, Iommi continua massacrando na guitarra, e surge aquele momento em que ela fica sozinha, todos os instrumentos deixam alguns segundos de glória só pra ela. E ela arrepia, faz viajar. Mas o Sabbath é uma banda compelta, e parte do mérito também fica na bateria e suas marteladas em momentos precisos. O baixo acompanha tudo de perto, sem deixar o nível cair. Mas voltando ao vocal, Ozzy canta particularmente bem essa canção, acho que devido à poesia bem delineada. Começa assim: "Bem, estarei partindo amanhã de manhã. Pegarei o trem mais rápido por volta das nove. Sim, estou deixando pra trás toda tristeza e a dor no peito, antes que isso me leve pra longe da minha mente". Muito bom o começo, e enquanto o narrador nos conta mais sobre esse angustiado momento, nossa mente já foi embora faz tempo. Na terceira estrofe a música dá uma descida e há uma leve suavidade também na voz do comedor-de-morcegos, onde ele revela a profundidade desse título: "Quando a tristeza preencher os meus dias, é hora de manda-la embora, e então os sonhos de amanhã serão realidade pra mim". Atenção nesse momento nas cordas da guitarra que fazem um show de fundo, como se ganhassem vida. Depois há a superação e vemos que o Black Sabbath também fala do tema-chave, o amor, só que da maneira deles, agressiva e excelente: "Saiba que estou muito melhor sem você, e você não é mais a única coisa em meu coração. Eu só vou voltar e fingir que estou vivendo, então dessa vez eu terei que me despedir". Reflexiva. Se não podemos imaginar os misteriosos sonhos de amanhã, pelo menos os sonhos hoje estão garantidos ao ouvir essa obra ;)

Nunca ouviu?

Não deixe pra amanhã. Sonhe hoje. Escute:

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...