Leia também!

Não Sou o Escolhido

14/10/2009

Faz tempo que eu quero postar algo do Lynyrd Skynyrd, já que tenho escutado bastante eles e ainda tem apenas 1 post aqui. Mas o mais difícil foi escolher qual das inúmeras excelentes músicas viajantes deles eu deveria postar. Por fim optei por essa que abre o álbum "Pronounced Leh-nerd Skin-nerd" de 1973 por seu tom bem humorado. Segue a letra:





I Ain't The One
(Rossington / VanZant)

Well, I'll tell you plainly baby
What I plan to do
'Cause I may be crazy baby
But I ain't no fool
Your daddy's rich, mama
You're overdue
But I ain't the one, baby
Been messing with you

Got bells in your mind, mama
So won't you pardon me
I think its time for me to move along
I do believe

Now you're talking jive, woman
When you say to me
Your daddy's gonna take us in baby
'N take care of me
You know and I know, woman
I ain't the one
I never hurt you sweet heart
I never pulled my gun

Got bells in your mind, baby
So won't you pardon me?
I think its time for me to move along
I do believe

Time for me to put my boots out in the street baby
Are you ready boots - walk on

All right there missy, let me tell you a thing or two
Now you're talking jive, woman
When you say to me
Your daddy's gonna take us in baby
'N take care of me
When you know and I know, woman
I ain't the one
That ain't my idea -- uh unh -- of having fun

Got rings in your eyes lady
So won't you pardon me
I think its time for me to move along
I do believe
I must be in the middle of some kind of conspiracy

Vamos à andança...

A introdução dessa música é uma das melhores existentes no mundo do rock. Não é exagero não... Depois da aquecidinha da bateria começa o tão marcante riff que levará a música toda, porém esse riff introdutório faz um dueto com outra guitarra num solinho agudo e agressivo (chamado, genialmente, por um assobio). São uns 30 segundos de loucura. Mas vamos falar da letra antes de perder a cabeça nessa instrumentação de sucesso. O fato é que o Skynyrd é uma banda que veio pra nos transmitir lições na vida. Com a mesma tranquilidade na voz usada em Simple Man, aqui ele começa com uma frase de efeito: "Posso ser louco, querida, mas não sou tonto. Seu pai é rico, amor, você está atrasada. Eu não sou o cara, baby, pra mexer com você". Essa última frase traz um leve tom sarcástico/conformado sensacional na voz de VanZant. Ele só quer passar a seguinte lição: "eu não sou o cara, querida". Ele reconhece que sua pequena está num outro nível social, que ela vive em outro universo diferente do dele, um qualquer aventureiro e carinhoso, porém pobretão. "Hora de por minhas botas na rua, querida" é a deixa pro personagem sair dessa situação embaraçosa. Sim, embaraçosa por isso: "você está de conversa mole, amor, quando diz que seu pai nos sustentará - e cuidará de mim. Você sabe e eu sei, mulher, não sou o cara... Nunca te machuquei, querida, nunca te mostrei minha arma". E aqui é a deixa pra voltar a falar da instrumentação, pois no momento exato em que ele diz essa frase "you know and i know woman" o riff se enfia precisamente entre a voz do cantor. É impressionante, coisa de te fazer sorrir em dia de temporal... Além disso tem um solo incrível e também a base do baixo não fica atrás. A música é tão boa que tem até uma despedida bem humorada: "você terá que me perdoar, pois acho que é minha hora de ir embora, eu acredito. Devo estar no meio de algum tipo de conspiração" ;)

Nunca ouviu?

Sua hora de sorrir. Escute:

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...