Viaje neste blog

Publicidade

Viajantes na Tempestade

21/08/2009

Pronto, demorou um pouco mas aqui está: The Doors. Banda de nível altíssimo, uma daquelas que você reconhece, que tem um estílo único e próprio. Diria que até uma identidade, não só musical, mas em termos de personalidade e de postura - nem sempre politicamente correta. Essa aqui é minha música favorita deles, talvez pelo clima altamente viajante que ela cria. Faz parte do último álbum deles antes de Jim Morrison morrer: "L.A. Woman" de 1971. Segue a letra:




Riders On The Storm
(Morrison/Krieger/Manzarek/Densmore)

Riders on the storm,
Riders on the storm,

Into this house we're born,
Into this world we're thrown
Like a dog without a bone,
An actor out alone,

Riders on the storm

There's a killer on the road
His brain is squirming like a toad
Take a long holiday
Let your children play
If you give this man a ride
Sweet family will die
Killer on the road

Girl you gotta love your man
Girl you gotta love your man
Take him by the hand
Make him understand
The world on you depends
Or life will never end
Gotta love your man

Vamos à andança...

Como eu disse essa é uma das maiores viagens possíveis no mundo da música. Primeiro começa com um som de chuva e trovões ao fundo, convidando o ouvinte à relaxar e deixar sua mente divagar. A base construída pela batida e baixo são igualmente confortáveis e o piano de leve no começo serve pra mostrar que vem muita coisa por aí, ao melhor estilo Doors de viagem. Confesso que não sou grande fã dessa banda. Já ouvi alguns dos CDs da discografia e não me senti confortável com todas as músicas. Como eu costumo dizer: acho que não estou no nível necessário pra apreciar tudo, pois é uma banda que respeito bastante. Mas com essa música eu garanto que a apreciação é certa, isto é, se sua mente conseguir voltar das estradas e da chuva descritas na letra. Falando nisso, a voz de Morrison vai desde o começo de leve, tranquila e conduzindo uma guitarra sensacional, igualmente suave. Ele descreve no começo um pouco desse espisódio enigmático: "Viajantes na tempestade, viajantes na tempestade, Nesta casa onde nascemos. Neste mundo onde fomos jogados. Como um cachorro sem osso, como um ator sozinho. Viajantes na tempestade". Na próxima estrofe ele conta um pouco mais dessa história: "Se você der carona a este homem, a doce família morrerá. Há um assassino na estrada". Aqui a letra fala de uma história real sobre um assassino americano que matou uma família após esta lhe arrumar uma carona. Depois a guitarra faz um solinho tranquilo e agradável. A base então volta para a última estrofe onde Jim dá um conselho: "Garota, você deve amar seu homem. Pegue-o pela mão e faça ele entender. Que o mundo depende de você ou a vida nunca acabará. você deve amar seu homem". Sensacional, mas não tanto quanto o teclado de Manzarek que começa a dar seu show à parte numa mistura de jazz com aceleradas leves e subidas. Sinceramente é um dos solos de piano/teclado mais envolventes que já ouvi. Depois de mais um trovão e a volta da base e Morrison faz mais umas brincadeiras com a frase que já está na ponta da nossa língua: "Riders on the stoooorm"... Se aqui é um blog de viagens, aqui está um tíquete de ida e volta para lugares e sensações incríveis. Só tem um problema: choverá na viagem inteira ;)

Nunca ouviu?

Viaje nessa chuva. Escute:

Um comentário:

Renato disse...

Não podia deixar de deixar um comentário para relembrar os bons tempos de Morrison Rock Bar! Ouvindo a Lizzard (banda cover do Doors extremamente competente) fazendo esse som, com aquela iluminação baixa e uma dose de whisky, dá pra viajar até pro pico do Everest (se bem que lá não deve chover...).

Abraço

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...