Mais um livro do Andarilho

Hino 43

19/03/2009

Sem dúvida uma das bandas mais interessantes do cenário musical: Jethro Tull. Isso devido ao fato de ser uma banda instrumentalmente impecável, mas acrescida de um instrumento até então pouco explorado em bandas de rock'n'roll: a flauta. Seu frontman, Ian Anderson dominava o instrumento de maneira impressionante, criando solos inesquecíveis na flauta, gaita, e outros instrumentos de sopro, além de uma presença de palco bastante forte, onde encarnava personagens medievais, dançava, tocava e fazia caretas. Esse som é do álbum que considero o melhor da banda: "Aqualung", de 1971. Segue aletra:




Hymn 43
(Anderson)

Our father high in heaven
Smile down upon your son
Who is busy with his money games,
His women and his gun
Oh Jesus save me

And the unsung western hero
He killed an indian or three
And then he made his name in Holywood
To set the white man free
Oh Jesus save me

If Jesus saves
Well He better save himself
From the gory glory seekers
Who use His name in death
Oh Jesus save me

Well i saw him in the city
And on the mountains of the moon
His cross was rather bloody
He could hardly roll his stone
Oh Jesus save me

Vamos à andança...

Lendo algumas matérias sobre este álbum descobri que Ian Anderson quis dividir o LP em 2 partes, onde na primeira ele apresentaria alguns personagens (Aqualung, Cross-Eyed Mary, etc) e na segunda falaria da diferença entre Deus e religião (Hymn 43, My God, etc). Não vou negar que qualquer música de alguma banda que eu gosto que cite Jesus na letra me desperta curiosidade. Isso por que como bom critão procuro ver se não estão faltando com respeito para com o Filho do Homem. Essa música me chamou a atenção primeiramente por antes de cada um dos ótimos riffs de Martin Barre o narrador diz: "Jesus, Save Me!". Ao analisar a letra, apesar do tom provocativo e sarcástico (basta traduzir a primeira estrofe: "Nosso Pai que está no céu, sorria sobre seu filho que está ocupado com seus jogos de dinheiro, suas mulheres e sua arma") imagino esse "Jesus Salve-me" como uma súplica perante essas tão graves, porém banais denúncias. A crítica a Igreja Católica também está presente aqui (num excelente vocal de Ian): "Se Jesus salva, ele deveria salvar a si mesmo, daqueles que buscam a glória sangrenta e usam Seu nome em morte", ilustrada por exemplo pelas Cruzadas. Ok, revoluções à parte é bom lembrar que os anos obscuros da Igreja já se foram, e inclusive perdão ao mundo por certas atrocidades já foi pedido pelo papa João Paulo II. Mas não podemos esquecer que Jethro Tull é uma banda com a cabeça medieval, tanto nos arranjos, como letras, como figurinos. Eles estão praticamente vivendo o auge da Igreja exploradora; eles têm o direito de se revoltar ;)

Curiosidade: O Salmo 43 da Bíblia, provavelmente uma fonte de inspiração para esse Hino 43, diz:
"Faze-me justiça, ó Deus, e pleiteia a minha causa contra a nação ímpia. Livra-me do homem fraudulento e injusto".

Nunca ouviu?

É imprescindível que você conheça. Escute:

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...